02 de Janeiro de 2020

Tempo do Natal - Quinta-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

QUINTA FEIRA – SANTOS BASÍLO E GREGÓRIO, BISPOS E DOUTORES
(branco, pref. do Natal ou dos pastores – ofício da memória)

 

Antífona da entrada

 

– Velarei sobre as minhas ovelhas, diz o Senhor; chamarei um pastor que as conduza e serei o seu Deus (Ez 34,11.23)

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, que iluminastes a vossa Igreja com o exemplo e a doutrina de são Basílio e são Gregório Nazianzeno, fazei-nos buscar humildemente a vossa verdade e segui-la com amor em nossa vida. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: 1 Jo 2,22-28

 

– Leitura da primeira carta de são João –  Caríssimos: 22 quem é mentiroso,
senão aquele que nega que Jesus é o Cristo?  O Anticristo é aquele que nega o Pai e o Filho.  23  Todo aquele que nega o Filho, também não possui o Pai.
Quem confessa o Filho, possui também o Pai. 24 Permaneça dentro de vós aquilo que ouvistes desde o princípio. Se o que ouvistes desde o princípio permanecer em vós, permanecereis com o Filho e com o Pai. 25 E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. 26  Escrevo isto a respeito dos que procuram desencaminhar-vos. 27 Quanto a vós mesmos, a unção que recebestes da parte de Jesus permanece convosco, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine.  A sua unção vos ensina tudo, e ela é verdadeira e não mentirosa. Por isso, conforme a unção de Jesus vos ensinou, permanecei nele. 28 Então, agora, filhinhos, permanecei nele. Assim poderemos ter plena confiança, quando ele se manifestar, e não seremos vergonhosamente afastados dele, quando da sua vinda.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 98, 1- 4 (R: 3a)

 

– Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.

R: Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.

 

– Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios!
Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.
R: Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.

 

– O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça;
recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.
R: Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.

 

– Os confins do universo contemplaram da salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!.

R: Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.

 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 – Depois de ter falado, no passado, aos nossos pais pelos profetas muitas vezes, em nossos dias Deus falou-nos por seu Filho (Hb 1,1).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 1, 19-28

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.

– Glória a vós, Senhor!  

19  Este foi o testemunho de João, quando os judeus enviaram de Jerusalém
sacerdotes e levitas para perguntar: 'Quem és tu?' 20 João confessou e não negou. Confessou: 'Eu não sou o Messias'. 21 Eles perguntaram: 'Quem és, então? És tu Elias?' João respondeu: 'Não sou'. Eles perguntaram: 'És o Profeta?' Ele respondeu: 'Não'. 22 Perguntaram então: 'Quem és, afinal?
Temos que levar uma resposta para aqueles que nos enviaram. O que dizes de ti mesmo?' 23 João declarou: 'Eu sou a voz que grita no deserto: 'Aplainai o caminho do Senhor`' – conforme disse o profeta Isaías. 24 Ora, os que tinham sido enviados pertenciam aos fariseus 25e perguntaram: 'Por que então andas batizando, se não és o Messias, nem Elias, nem o Profeta?' 26 João respondeu: 'Eu batizo com água; mas no meio de vós está aquele que vós não conheceis 27e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias.' 28Isso aconteceu em Betânia além do Jordão, onde João estava batizando.
 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!  

São Basílio Magno, luminário da Capadócia

- por Padre Alexandre Fernandes

São Basílio conheceu Cristo mais profundamente e retomou a amizade com Jesus

Hoje, recordamos três nomes e três amigos em Cristo Jesus. Reconhecidos como luminários da Capadócia, região da Turquia, são eles: Gregório, seu irmão de sangue, São Basílio Magno e o amigo São Gregório Nazianzeno. Dois irmãos de sangue, três grandes amigos em Cristo Jesus.

São Basílio Magno nasceu de uma família santa que buscava testemunhar, na própria vida e na formação dos filhos, o grande amor por Cristo e pela Igreja. Foi assim que, ajudado pelo pai, São Basílio Magno recebeu a primeira formação. Depois, passou por Constantinopla, chegando a estudar em Atenas e formar-se em retórica. A essa altura, mesmo tendo um coração bem semeado pelo Evangelho, ele começou a buscar glórias humanas. É importante percebermos isso na história dos santos. Eles não nasceram santos e não foram obrigados a ser santos; aceitaram este desafio, mesmo que houvesse, em algum período, um desvio. Mas a misericórdia do Senhor sempre nos dará uma nova change. Foi o que aconteceu com São Basílico.

Ao conhecer o amigo São Gregório Nazianzeno, São Basílio conheceu Cristo mais profundamente e retomou a amizade com Jesus. Ele, que já era muito culto, direcionou todo o seu potencial para Aquele que é a verdade, o Logus, o Verbo que se fez carne, Jesus Cristo, nosso Senhor e salvador. Retirou-se por um tempo dali e pôde viver uma vida de muita oração e penitência. Depois, foi inspirado a se aprofundar na vida eremítica e também na vida monástica. Visitou o Egito, Síria, Palestina e estudou ao ponto de, com seu amigo Nazianzeno, começar uma comunidade monástica.

Aconteceu que, diante da realidade na qual o Arianismo – heresia que afirmava que Jesus Cristo não é Deus – confundia muito as pessoas e ainda era apoida pelo imperador do Oriente chamado Valente. Enfim, que confusão doutrinal! Nesta altura, em Cesaréia, São Basílio, em 370 d.C. foi eleito bispo, sucessor de um dos apóstolos. Homem de caridade e de testemunho, ele pôde combater e ver a verdade vencendo o Arianismo. O imperador não colocava medo nesse homem cheio do Espírito Santo. São Basílio também tinha muitas obras, não era apenas um homem de palavras; cidades de caridade surgiram por meio dele.

Ainda padre, ele já era um testemunho reconhecido, uma autoridade não só pela Igreja, mas pela vida. São Basílio Magno deixou uma riqueza de escritos e, principalmente, a certeza de que amigo de Jesus, felizes nós seremos. Em 379 d.C., ele partiu para o céu e intercede por nós.

São Basílio Magno, rogai por nós!

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Quem és tu? (Jo 1,19-28)

 

            Sacerdotes e levitas se deslocam de Jerusalém, o centro político e religioso, e vão até as margens pedregosas do Jordão para interrogar João Batista. Uma pergunta direta, quase ameaçadora: – “Quem és tu?”

 

            Naturalmente, os poderes da época estão inquietos. Começam por fazer uma inquisição centrada em seus próprios temores. Quem seria aquela personagem áspera que atraía multidões? O Messias? Elias? O profeta? E João nega três vezes.

            Diante da insistência, João declara: “Sou a voz de quem grita no deserto: ‘Endireitai o caminho para o Senhor’”. Ao citar o profeta Isaías 40,3, João Batista demonstra pleno conhecimento da missão que Deus lhe confiara. Não queria ser a pessoa que muitos esperavam. Não queria ser a pessoa que muitos temiam.

 

            Eis aqui uma bela lição para nós. Se esta pergunta nos fosse feita: – “Quem és tu?” -, qual seria a nossa resposta? Talvez fosse mais fácil apresentar-nos de uma forma cômoda, aceitável para a opinião pública. Talvez fôssemos tentados a maquiar nossa pessoa, ignorando nossa íntima realidade.

 

            Lembro-me de um pregador que abriu sua primeira palestra em um retiro com esta apresentação: – “Eu sou fulano de tal, um pecador perdoado…” Foi uma surpresa para mim! Ele poderia ter apresentado seu currículo, seus títulos acadêmicos, um resumo de seu trabalho de evangelização. Poderia mesmo lembrar que abandonara sua profissão rendosa para se dedicar ao anúncio do Evangelho, mas preferiu falar daquilo que ele mesmo pensava definir melhor sua pessoa… Um pecador perdoado…

 

            – Quem é você? Quem sou eu? Quem somos nós? O que é que nos define como pessoa? Uma profissão: Fulano é nosso padeiro… Um erro: Foi ele que assaltou o banco… Uma vitória: Ela é a campeã olímpica…

 

            Parece pouco como definição. Não diz muita coisa sobre nossa pessoa mais profunda. Não é assim que Deus nos vê. Deus vê um pastor adolescente e enxerga nele o novo rei de Israel. Deus vê um colhedor de sicômoros e enxerga seu novo profeta. Deus vê uma jovenzinha de Nazaré e enxerga sua futura Mãe…

 

            No início de mais um ano, temos a oportunidade de nos perguntar: – “Quem sou eu?” Aliás, boa pergunta para fazermos ao nosso Senhor…

 

Orai sem cessar: “Senhor, tu me examinas e me conheces…” (Sl 139,1)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.