02 de Julho de 2020

13a Semana Comum Quinta-feira

- por Pe. Alexandre

QUINTA FEIRA – XIII SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do dia)

 

Antífona da entrada

– Povos todos, aplaudi e aclamai a Deus com brados de alegria. (Sl 46,2)

 

Oração do dia

– Ó Deus, pela vossa graça, nos fizestes filhos da luz. Concedei que não sejamos envolvidos pelas trevas do erro, mas brilhe em nossas vidas a luz da vossa verdade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Am 7, 10-17

– Leitura da profecia de Amós – Naqueles dias, 10Amasias, sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel: Amós conspira contra ti no meio dos israelitas. A terra não pode mais suportar os seus discursos. 11Ele diz que Jeroboão perecerá pela espada e que Israel será deportado para longe de seu país! 12Amasias disse a Amós: Vai-te daqui vidente, vai para a terra de Judá e ganha lá o teu pão, profetizando. 13Mas não continues a profetizar em Betel, porque aqui é o santuário do rei, uma residência real. 14Amós respondeu a Amasias: Eu não sou profeta nem filho de profeta. Sou pastor e cultivador de sicômoros. 15O Senhor tomou-me de detrás do meu rebanho e disse-me: Vai e profetiza contra o meu povo de Israel. 16Ouve, pois, agora, a palavra do Senhor: Tu me dizes: Não profetizarás contra Israel, não falarás contra a casa de Isaac. 17Pois bem! Eis o que diz o Senhor: tua mulher será violada em plena cidade, teus filhos e tuas filhas cairão sob a espada, teu campo será repartido a cordel; quanto a ti, morrerás numa terra impura, e Israel será deportado para longe de seu país.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 19B,8.9.10.11 (R: 10b)

– Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

R: Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

– A lei do Senhor Deus é perfeita, conforto para a alma! O testemunho do Senhor  é fiel, sabedoria dos humildes.

R:Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

Os preceitos do Senhor são preciosos, alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante os olhos é uma luz

R: Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

É puro o temor do Senhor, imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

R: Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

Mais desejável do que o ouro são eles, do que o ouro refinado. Suas palavras são mais  doce que o mel, que o mel que sai dos favos.

R: Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

 

Aclamação ao santo Evangelho

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

– Em Cristo, Deus reconciliou consigo mesmo a humanidade; e a nós ele entregou essa reconciliação (2Cor 5,19)

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 9,1-8

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo: 1Entrando em um barco, Jesus atravessou para a outra margem do lago e foi para a sua cidade. 2Apresentaram-lhe, então, um paralítico deitado numa cama. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: ‘Coragem, filho, os teus pecados estão perdoados!’ 3Então alguns mestres da Lei pensaram: ‘Esse homem está blasfemando!’ 4Mas Jesus, conhecendo os pensamentos deles, disse: ‘Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações? 5O que é mais fácil, dizer: ‘Os teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘Levanta-te e anda’6Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados,
– disse, então, ao paralítico – ‘Levanta-te, pega a tua cama e vai para a tua casa.’ 7O paralítico então se levantou, e foi para a sua casa. 8Vendo isso, a multidão ficou com medo e glorificou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

São Bernardino Realino

- por Pe. Alexandre

Diante da vida do santo de hoje, poderíamos afirmar que nada tinha para chegar aos altares, até que passou a ter tudo, pois decidiu-se por Jesus. Bernardino Realino nasceu em Capri, próximo a Nápoles, em 1530, numa família religiosa que o promoveu para os estudos de Direito, o qual exerceu em Nápoles.

Como era de costume na época, o jovem andava armado com um punhal, até que diante de um desentendimento feriu gravemente um adversário, e por isso fugindo de complicações jurídicas e vingança, foi para o Norte da Itália.

Ao entrar na carreira política e administrativa, Bernardino progrediu, chegando a ser prefeito em muitas cidades. Jesus entrou em sua vida através de um sacerdote jesuíta, que falou sobre a riqueza da vida cristã e seus deveres. Desta maneira, Bernardino começou a rezar com empenho o Santo Terço, que o arrancou de todo indiferentismo religioso.

Durante sua linda caminhada de fé e testemunho, descobriu sua vocação, renunciou a tudo e entrou com 35 anos na Companhia de Jesus. Encaminhou-se ao Sacerdócio, exercendo-o na cidade de Lecce.

Como exemplo e reflexo do Bom Pastor, São Bernardino Realino no confessionário, pregação e direção espiritual salvava almas para Deus e com Deus, que o levou para o Céu com 86 anos.

São Bernardino Realino, rogai por nós!

Meditação

- por Pe. Alexandre

Levanta-te e anda! (Mt 9,1-8)

 

Na narrativa da Criação (Gn 2,7), o primeiro homem já fora modelado pelo Criador, mas permanecia inerte. Um simples boneco de barro. Só após receber em seu interior – as “narinas” – o Hálito de vida, ergueu-se de pé e caminhou.

No Evangelho de hoje, temos também um homem “reduzido”, diminuído em sua humanidade: trata-se de um paralítico, um homem i-móvel, que depende de ser transportado por outras pessoas. O mesmo “Sopro vital” está presente em Jesus, que lhe diz: “Levanta-te e anda!” Aquele que criou o homem é o mesmo que vem curá-lo. Recriá-lo.

Sim, curar é re-criar! Devolver ao homem a imagem e semelhança perdidos pelo caminho da vida. Arrancá-lo de seu imobilismo, de sua inação. Devolvê-lo à sua missão.

Para espanto daquela assembleia judaica reunida na Sinagoga, em dia de sábado, o Rabi da Galileia começa por dizer: “Tem confiança, filho, os teus pecados estão perdoados”. E assim ficamos conhecendo a origem da paralisia: o pecado. Qualquer que tenha sido esse pecado, travou a caminhada daquele israelita (um estrangeiro não entraria na sinagoga!).

Ora, o povo de Deus ficou conhecido exatamente por sua fama de caminheiro, circulando pelo deserto por 40 anos, em busca da Terra Prometida. Nada mais humilhante para um filho de Israel do que não poder andar! Não estou convencido de que Jesus fazia tais curas apenas para dar “sinais” … Acredito que Jesus tinha (e tem!) entranhas de misericórdia. Cura porque sofre com o sofrido, chora com as carpideiras, morre com os moribundos. Por isso mesmo, porá o paralítico de pé.

E nós? Qual o pecado que nos paralisa? A preguiça pode nos afastar da estrada. A avareza põe cadeados em nossa bolsa. A gula não deixa pão para repartir. O medo nos impede de mergulhar nas mãos de Deus. O orgulho proíbe que nos arrisquemos a passar vergonha por causa do Evangelho…

É bem verdade que muita gente não quer andar de novo. Podemos nos acostumar à paralisia espiritual. Pode ser mais cômodo, além de nos permitir o papel de vítimas… Pode ser mais seguro do que enfrentar a estrada. Pode ser…

Mas não foi assim que o Criador pensou em nós! Não é assim que trabalharemos para construir um Reino para Deus! Você quer andar de novo?

 

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.