02 de Junho de 2019

7ª semana da Páscoa -Domingo

- por Padre Alexandre Fernandes

DOMINGO – ASCENSÇÃO DO SENHOR
(branco, glória, creio, prefácio da Ascensão – ofício da solenidade)

 

Antífona de entrada

 

– Homens da Galileia, porque estais admirados, olhando para o céu? Este Jesus há de voltar do mesmo modo que o vistes subir, aleluia! (At 1,11)

 

Oração do dia

 

– Ó Deus todo-poderoso, a ascensão do vosso Filho já é nossa vitória. Fazei-nos exultar de alegria e fervorosa ação de graças, pois, membros de seu corpo, somos chamados na esperança a participar da sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: At 1, 1-11

– Leitura dos Atos dos Apóstolos: 1No meu primeiro livro, ó Teófilo, já tratei de tudo o que Jesus fez e ensinou, desde o começo, 2até o dia em que foi levado para o céu, depois de ter dado instruções, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que tinha escolhido. 3Foi a eles que Jesus se mostrou vivo, depois de sua paixão, com numerosas provas. Durante quarenta dias, apareceu-lhes falando do Reino de Deus. 4Durante uma refeição, deu-lhes esta ordem: “Não vos afasteis de Jerusalém, mas esperai a realização da promessa do Pai, da qual vós me ouvistes falar: 5‘João batizou com água; vós, porém, sereis batizados com o Espírito Santo, dentro de poucos dias’”. 6Então os que estavam reunidos perguntaram a Jesus: “Senhor, é agora que vais restaurar o Reino em Israel?” 7Jesus respondeu: “Não vos cabe saber os tempos e os momentos que o Pai determinou com a sua própria autoridade. 8Mas recebereis o poder do Espírito Santo que descerá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria, e até os confins da terra”. 9Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu, à vista deles. Uma nuvem o encobriu, de forma que seus olhos não podiam mais vê-lo. 10Os apóstolos continuavam olhando para o céu, enquanto Jesus subia. Apareceram então dois homens vestidos de branco, 11que lhes disseram: “Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus, que vos foi levado para o céu, virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu”.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 47, 2-3.6-7.8-9 (R: 6)

 

– Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta.
R: Por entre aclamações, Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta!

 

– Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra.

R: Por entre aclamações, Deus se elevou,  o Senhor subiu ao toque da trombeta!

 

– Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta. Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

R: Por entre aclamações, Deus se elevou,  o Senhor subiu ao toque da trombeta!

 

– Porque Deus é o grande Rei de toda a terra, ao som da harpa acompanhai os seus louvores! Deus reina sobre todas as nações, está sentado no seu trono glorioso.

R: Por entre aclamações, Deus se elevou,  o Senhor subiu ao toque da trombeta!

 

2ª Leitura: Ef 1,17-23

– Leitura da carta de são Paulo aos Efésios: Irmãos: 17O Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai, a quem pertence a glória, vos dê um espírito de sabedoria que vo-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. 18Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos, 19e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente. 20Ele manifestou sua força em Cristo, quando o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita nos céus, 21bem acima de toda a autoridade, poder, potência, soberania ou qualquer título que se possa nomear, não somente neste mundo, mas ainda no mundo futuro. 22Sim, ele pôs tudo sob seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a Cabeça da Igreja, 23que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Aclamação ao santo Evangelho.

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Ide ao mundo, ensinai aos povos todos; convosco estarei, todos os dias, até o fim dos tempos, diz Jesus (Mt 28,19)

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 24,46-53

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Conclusão do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas.

– Glória a vós, Senhor!

 

– Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 46“Assim está escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia 47e no seu nome serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso. 49Eu enviarei sobre vós aquele que meu Pai prometeu. Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos da força do alto”. 50Então Jesus levou-os para fora, até perto de Betânia. Ali ergueu as mãos e abençoou-os. 51Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu. 52Eles o adoraram. Em seguida voltaram para Jerusalém, com grande alegria. 53E estavam sempre no Templo, bendizendo a Deus.

São Marcelino e São Pedro

- por Padre Alexandre Fernandes

São Marcelino e São Pedro, foram instrumentos da Divina Providência

Os santos de hoje, pertenceram ao clero romano no século IV e viveram no contexto da grande perseguição contra a Igreja de Cristo, por parte do Imperador Diocleciano. Foram mártires por causa do amor a Jesus.

Os santos demonstram com a vida e até com a morte, no caso dos mártires, que o amor precisa ser o mais importante. Foram presos, e na cadeia souberam que o responsável daquela prisão estava deprimido. E quiseram saber o porquê. E a filha deste, estava sendo oprimida pelo maligno. Eles então, anunciaram Jesus àquele pai, e disseram do poder do Senhor para libertá-la. Conseguiram liberação, foram até a casa desta família, anunciaram Jesus, oraram pela libertação daquela criança e que graça, toda a família se converteu, aceitando o santo Batismo. Este pai de família também foi preso e martirizado.

Pedro e Marcelino foram instrumentos da Divina Providência para que a evangelização chegasse a essa família e a tantas outras pessoas. Estes santos foram decapitados no ano de 304.

Peçamos a intercessão destes santos para que a nossa evangelização seja centrada no amor de Deus, para que muitas famílias se convertam e se tornem sinais visíveis deste amor que santifica e salva, o amor de Deus.

São Marcelino e São Pedro, rogai por nós!

 

FONTE: CANÇÃO NOVA 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Com grande alegria… (Lc 24,46-53)

 

            Por que será que raramente “estranhamos” os santos Evangelhos? Talvez a rotina nos leve a ficar acostumados com a Palavra de Deus, mesmo quando ela traz algo inusitado. É o caso deste Evangelho da ascensão de Jesus ao Pai.

 

            Uma passagem como esta deveria levantar dúvidas em nossa mente: como é que os discípulos se despedem de seu Mestre, o Cristo ressuscitado, e ainda manifestam “grande alegria”? Despedidas causam tristeza, sempre acompanhadas de lenços brancos, em geral molhados. E eles vão celebrar no Templo alegremente?!

 

            Depois de três anos ao lado de Jesus, tempo de aprendizado e de surpresas, de curas e milagres, culminando com o drama do Calvário e a ressurreição, eis que os seguidores de Jesus se veem abandonados. Agora, estão por conta própria. Não contam mais com a sabedoria e o poder que fruíam do Senhor. Mais ainda: acabam de receber uma missão impossível aos olhos humanos: levar a Boa Nova até os confins da terra (cf. Mc 16,15). E com uma advertência nada agradável: eles serão como ovelhas cercadas por lobos vorazes (cf. Lc 10,3). Como podem estar alegres?

 

            O exegeta Helmut Gollwitzer explica: “Para que seja assim, é preciso que esses homens já saibam com certeza de uma coisa que é duvidosa para muitos dentre nós. Eles sabiam que aquela partida era definitiva, era a última vez que O viam sobre a terra; Jesus não os deixava como antes, para voltar novamente, mas estava encerrado o tempo de sua aparição corporal. No entanto, eles ‘sabiam” de outra coisa: esta despedida de Cristo não era o ponto final; a breve passagem de Deus sobre a terra não se dissipava como um belo sonho, ao contrário, é agora que as coisas começam de verdade.”

 

            Os discípulos já sabem que a história continua e se projeta no futuro. Estamos diante do grande milagre que é a esperança cristã. Esperança? Virtude cristã impossível para o ateu e para o agnóstico, que não esperam pela Segunda Vinda de Cristo, anunciada pelos anjos no mesmo instante da Ascensão (cf. At 1,11). O discípulo, ao contrário, sabe que vive entre duas Vindas. Ele reza todos os dias: “Venha a nós o vosso reino!” Ele arregaça as mangas e sua a camisa para apressar a Vinda do Senhor. Ele é membro desse corpo que clama sem cessar: “Marana thá! Vem, Senhor Jesus!” (Ap 22,20b)

 

Orai sem cessar: “Eu venho em breve!” (Ap 3,11)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.