02 de Maio de 2020

3a Semana de Páscoa Sábado

- por Padre Alexandre Fernandes

SABADO – SANTO ATANÁSIO BISPO E DOUTOR
(branco, pref. pascal ou dos pastores – ofício memória)

 

Antífona da entrada

 

– No meio da Igreja o Senhor colocou a palavra nos seus lábios; deu-lhe o espírito de sabedoria e inteligência e o revestiu de glória, aleluia! (Eclo 15,5)

 

Oração do dia

 

– Deus eterno e todo-poderoso, que nos destes em santo Atanásio um exímio defensor da divindade de vosso Filho, concedei-nos, por sua doutrina e proteção, crescer continuamente no vosso conhecimento e no vosso amor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: At 9,31-42

 

– Leitura dos Atos dos Apóstolos: Naqueles dias, 31a Igreja vivia em paz em toda a Judeia, Galileia e Samaria. Ela consolidava-se e progredia no temor do Senhor e crescia em número com a ajuda do Espírito Santo.  32Pedro percorria todos os lugares; e visitou também os fiéis que moravam em Lida. 33Encontrou aí um homem chamado Enéias, que estava paralítico e, há oito anos, jazia numa cama. 34Pedro disse-lhe: “Enéias, Jesus Cristo te cura! Levanta-te e arruma a tua cama!” Imediatamente Enéias se levantou. 35Todos os habitantes de Lida e da região do Saron viram isso e se converteram ao Senhor. 36Em Jope, havia uma discípula chamada Tabita, nome que quer dizer Gazela. Eram muitas as obras boas que fazia e as esmolas que dava. 37Naqueles dias, ela ficou doente e morreu. Então lavaram seu corpo e o colocaram no andar superior da casa. 38Como Lida ficava perto de Jope, e ouvindo dizer que Pedro estava lá, os discípulos mandaram dois homens com um recado: “Vem depressa até nós!” 39Pedro partiu imediatamente com eles. Assim que chegou, levaram-no ao andar superior, onde todas as viúvas foram ao seu encontro. Chorando, elas mostravam a Pedro as túnicas e mantos que Tabita havia feito, quando vivia com elas. 40Pedro mandou que todos saíssem. Em seguida, pôs-se de joelhos e rezou. Depois, voltou-se para o corpo e disse: “Tabita, levanta-te!” Ela então abriu os olhos, viu Pedro e sentou-se. 41Pedro deu-lhe a mão e ajudou-a a levantar-se. Depois chamou os fiéis e as viúvas e apresentou-lhes Tabita viva. 42O fato ficou conhecido em toda a cidade de Jope e muitos acreditaram no Senhor.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 116B, 12-13.14-15.16-17 (R: 12)

 

– Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
R: Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que ele fez em meu favor?

– Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que ele fez em meu favor? Elevo o cálice da minha salvação, invocando o nome santo do Senhor.

R: Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que ele fez em meu favor?

– Vou cumprir minhas promessas ao Senhor na presença de seu povo reunido. É sentida por demais pelo Senhor a morte de seus santos, seus amigos.

R: Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que ele fez em meu favor?

– Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, vosso servo que nasceu de vossa serva; mas me quebrastes os grilhões da escravidão: Por isso oferto um sacrifício de louvor, invocando o nome santo do Senhor.

R: Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Senhor, tuas palavras são espírito, são vida; só tu tens palavras de vida eterna! (Jo 6,63-68).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 6,60-69

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João

– Glória a vós, Senhor!  

 

Naquele tempo, 60muitos dos discípulos de Jesus, que o escutaram, disseram: “Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?” 61Sabendo que seus discípulos estavam murmurando por causa disso mesmo, Jesus perguntou: “Isto vos escandaliza? 62E quando virdes o Filho do Homem subindo para onde estava antes? 63O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada. As palavras que vos falei são espírito e vida. 64Mas entre vós há alguns que não creem”. Jesus sabia, desde o início, quem eram os que não tinham fé e quem havia de entregá-lo. 65E acrescentou: “É por isso que vos disse: ninguém pode vir a mim a não ser que lhe seja concedido pelo Pai”. 66A partir daquele momento, muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele. 67Então, Jesus disse aos doze: “Vós também vos quereis ir embora?” 68Simão Pedro respondeu: A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. 69Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!  

 

Santo Atanásio - Bispo e Doutor da Igreja

- por Padre Alexandre Fernandes

Atanásio nasceu em Alexandria, no Egito, em 296. No ano de 325, deu-se o I Concílio Ecumênico, em Niceia, para definir a doutrina autêntica contra a heresia tão capciosa dos arianos, a qual fazia de Jesus uma criatura inferior a Deus Pai. Atanásio participou do Concílio na qualidade de assessor do seu bispo, embora fosse somente diácono na época.

O Arianismo foi condenado e deu-se a definição solene do Credo, o qual nós rezamos até hoje. A atuação de Atanásio foi primorosa tanto pela lucidez de sua doutrina quanto pela argumentação bíblica apresentada. Os erros dos arianos foram por ele refutados com tanto brilho, clareza e evidência, que causou admiração a todos.

Atanásio foi o sucessor do bispo de Alexandria, embora tivesse apenas 31 anos, e dirigiu a Igreja de Alexandria por 46 anos, período de muito sofrimento e perseguição. Os arianos não lhe deram descanso e, com o apoio do imperador, espalharam muitas calúnias contra Atanásio, que por cinco vezes teve de fugir de sua sede episcopal.

Refugiava-se no deserto onde conheceu e conviveu com o grande Santo Antão. Durante cinco anos ficou lá escondido, saindo somente à noite para dirigir sua igreja e consolar seus fiéis. Atanásio foi firme e inquebrantável com seus numerosos escritos. Manteve viva a fé no Verbo Encarnado.

Faleceu reconhecido por toda a Igreja, com 77 anos. E como reconhecimento de seu trabalho, fidelidade e fundamentais obras escritas para a Santa Igreja foi declarado Doutor da Igreja.

Santo Atanásio, rogai por nós!

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

O Espírito é quem dá vida… (Jo 6,60-69)

 

            Quando professamos nossa fé com as palavras do Credo de Niceia e Constantinopla, dizemos crer “no Espírito Santo, Senhor que dá a vida”. Em latim, Dominum et vivificantem, Senhor e fonte de vida.

 

            De fato, o mesmo Espírito que pairava sobre as águas (Gn 1), “chocando” o ovo da futura Criação, é o Espírito que repousou sobre Jesus (Lc 4,18), preparando-o para sua missão, e o Espírito de Pentecostes (At 2), que se fez alma e motor da Igreja. O “hálito” divino que deu vida ao primeiro homem (Gn 2,7b) é o mesmo “sopro” que nos infunde a vida de Jesus. Aliás, sem a ação pontual do Espírito Santo, invocado pelo sacerdote na Santa Missa, não teríamos no pão o Corpo de Cristo, no vinho consagrado o Sangue de Cristo.

 

            Curiosamente, muitos fiéis não têm consciência de que, ao comungarem o Corpo e o Sangue de Cristo na Eucaristia, comungam também o Espírito Santo (que é o Espírito de Jesus). Um fruto direto dessa comunhão é o “espírito de unidade”. O Papa João Paulo II escreveu recentemente: “O dom de Cristo e de seu Espírito, que recebemos na comunhão eucarística, realiza plena e abundantemente os anseios de unidade fraterna que vivem no coração humano e ao mesmo tempo eleva esta experiência de fraternidade, que é a participação na mesma mesa eucarística, a níveis que estão muito acima da mera experiência de um banquete humano”. (Ecclesia de Eucharistia, 24.)

 

            Logo, é com toda a propriedade que Jesus afirma que não podemos tentar compreender de modo carnal o profundo mistério do dom de seu Corpo e Sangue: “A carne não serve de nada, o Espírito é quem dá a vida”.  E acrescenta: “As palavras que Eu vos disse são Espírito (com inicial maiúscula no texto de São Jerônimo) e vida”.

 

            Nunca será demais acentuar o “realismo” da presença de Jesus nas espécies consagradas. Jesus não falava por símbolos. Tanto que o texto grego original de S. João chega a usar o verbo “trógon” (mastigar; cf. Jo 6,54.56-57-58) em lugar do verbo “phágein” (comer). Essa distinção desaparece na Vulgata, em latim, que talvez tenha estranhado o excesso de realismo…

 

            Diante das palavras de Jesus, muitos seguidores se afastaram para sempre. E ele diz aos Doze: “Também vós quereis partir?” E a resposta fulminante de Pedro: “A quem iríamos nós, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna!”

 

            E nós? A quem iríamos? Que alternativa teríamos para Jesus, que deu a vida por nós e nos alimenta na Eucaristia?

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.