06 de Dezembro de 2018

1ª Semana do Advento - Quinta-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

Antífona da entrada

 

– Estais perto, Senhor, e todos os vossos caminhos são verdadeiros. Desde muito aprendi que vossa aliança foi estabelecida para sempre (Sl 118,151).

 

Oração do dia

 

– Despertai, ó Deus, o vosso poder e socorrei-nos com a vossa força, para que vossa misericórdia apresse a salvação que nossos pecados retardam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Is 26,1-6

– Leitura do livro do profeta Isaías: 1Naquele dia, cantarão este canto em Judá: “Uma cidade fortificada é a nossa segurança; o Senhor cercou-a de muros e ante muro. 2Abri as suas portas, para que entre um povo justo, cumpridor da palavra, 3firme em seu propósito; e tu lhe conservarás a paz, porque confia em ti. 4Esperai no Senhor por todos os tempos, o Senhor é a rocha eterna. 5Ele derrubou os que habitam no alto, há de humilhar a cidade orgulhosa, deitando-a por terra, até fazê-la beijar o chão. 6Hão de pisá-la os pés, os pés dos pobres, as passadas dos humildes”.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 118,1.8-9.19-21.25-27a (R: 26a) 

 

– Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor.
R: Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor.

– Dai graças ao Senhor porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!” É melhor buscar refúgio no Senhor, do que pôr no ser humano a esperança; é melhor buscar refúgio no Senhor, do que contar com os poderosos do mundo!”

R: Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor.

– Abri-me vós, abri-me as portas da justiça; quero entrar para dar graças ao Senhor! “Sim, esta é a porta do Senhor, por ela só os justos entrarão!” Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes e vos tornastes para mim o Salvador!

R: Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor.

– Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, ó Senhor, dai-nos também prosperidade! Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!

R: Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor.
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 – Buscai o Senhor, vosso Deus, invocai -o, enquanto está perto! (Is 55,6)..

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 7,21.24-27

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

– Glória a vós, Senhor!

 

– Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 21“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade­ de meu Pai que está nos céus. 24Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. 25Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas ela não desabou, porque estava construída sobre a rocha. 26Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. 27Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!”

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!

São Nicolau

- por Padre Alexandre Fernandes

São Nicolau, conquistou a todos com sua caridade, espírito de oração e carisma de milagres

O santo deste dia é São Nicolau, muito amado pelos cristãos e alvo de inúmeras lendas. Filho de pais ricos com profunda vida de oração, nasceu Nicolau no ano 275 em Pátara, na Ásia Menor. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira, onde com amor evangelizou os pagãos, mesmo no clima de perseguição que os cristãos viviam.

São Nicolau é conhecido principalmente para com os pobres, já que ao receber por herança uma grande quantia de dinheiro, livremente partilhou com os necessitados. Certa vez, Nicolau sabendo que três pobres moças não tinham os dotes para o casamento e por isso o próprio pai, na loucura, aconselhou a prostituição, jogou pela janela da casa das moças três bolsas com o dinheiro suficiente para os dotes das jovens. Daí que nos países do Norte da Europa, usando da fantasia, viram em Nicolau o velho de barbas brancas que levava presentes às crianças no mês de dezembro.

Sagrado Bispo de Mira, Nicolau conquistou a todos com sua caridade, zelo, espírito de oração  e carisma de milagres. Historiadores relatam que ao ser preso, por causa da perseguição dos cristãos, Nicolau foi torturado e condenado a morte, mas felizmente se salvou em 313, pois foi publicado o edito de Milão que concedia a liberdade religiosa.

São Nicolau participou do Concilio de Nicéia, onde Jesus foi declarado consubstancial ao Pai. Entrou Nicolau no Céu em 324 ao morrer em Mira com fama de santidade e de instrumento de Deus para que muitos milagres chegasse ao povo.

São Nicolau, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

O rochedo eterno… (Is 26,1-6)

 

            Para nós, o rochedo é o símbolo da solidez. Trata-se de algo sólido e firme, um fundamento sobre o qual podemos apoiar-nos com segurança. A imagem do rochedo se opõe ao terreno pantanoso, à areia lábil e movediça, exatamente o tipo de terreno onde não se deve construir (cf. Mt 7,26). Muitas vezes, a Sagrada Escritura fala de Deus como o nosso “rochedo”.

 

            Curiosamente, adotamos do hebraico uma palavra que usamos com frequência em nossas orações. Na verdade, respondemos com ela, ao final das preces, como quem confirma e faz uma aposta pessoal, comprometendo-se com tudo o que foi dito na oração. Trata-se da palavra AMÉM. E é uma pena que, para muita gente, dizer “amém” signifique conformismo, desânimo diante do inevitável.

 

            Este termo hebraico “aclimatou-se” em todos os idiomas, observa o Pe. Rey-Mermet. “Em sua raiz hebraica, AMÉM implica, acima de tudo, a ideia de firmeza, solidez, segurança. Dizer AMÉM é proclamar que se considera verdadeiro tudo o que acaba de ser dito, com vistas a ratificar uma proposição ou unir-se a uma prece. A palavra evoca um edifício de alicerces inabaláveis; melhor ainda, a imagem da rocha sobre a qual está construído.”

 

            No Livro do Apocalipse de São João, Jesus Cristo é apresentado pelo apóstolo como esse rochedo inabalável: “Assim fala o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira…” (Ap 3,14) Na liturgia do rito moçárabe, a palavra AMÉM foi intercalada depois de cada suplica do Pai-Nosso, depois de cada artigo de fé do “Creio”. É que essa palavra hebraica está associada ao verbo “aman” (que significa crer). Por isso, dizer AMÉM equivale a dizer: “Isto merece fé! É isso aí! Falou!”

 

            A história da humanidade relata numerosos fracassos e sonhos que ruíram como pó. Quantos apostaram nos ideais nazistas e só colheram o ódio e a morte! Quantos viram o coletivismo soviético como saída para o homem e acabaram sufocados pelo mais desumano dos ateísmos! Sem caminhos e perspectivas, a juventude se abandona cada vez mais à droga e ao deboche. É nesse clima que as pessoas se perguntam: – Não haverá um rochedo que nos dê firmeza?

 

            Sim! Ele existe. É Jesus Cristo. E sabendo disso, tendo experimentado sua segurança em nossa vida, nós não temos o direito de silenciar, deixando toda uma geração atolada no pântano. Nossa missão é levar a todos até o Rochedo eterno, onde estaremos seguros e salvos!

 

Orai sem cessar: “O Senhor está a meu favor, não tenho medo de nada!” (Sl 118,6)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

14º Domingo do Tempo Comum