06 de Dezembro de 2019

1a semana do Advento Sexta-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

SEXTA FEIRA DA I SEMANA DO ADVENTO
(roxo, pref. do Advento I – ofício do dia)

 

 Antífona da entrada

 

– O Senhor descerá com esplendor, para visitar o seu povo na paz e fazê-lo viver a vida eterna.

 

 Oração do dia

 

– Despertai, Senhor, vosso poder e vinde para que vossa proteção afaste os perigos a que nossos pecados nos expõem e a vossa salvação nos liberte. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Is 29,17-24

– Leitura do livro do profeta Isaías: Assim fala o Senhor Deus: 17Dentro de pouco tempo, não se transformará o Líbano em jardim? E não poderá o jardim tornar-se floresta? 18Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro e os olhos dos cegos verão, no meio das trevas e das sombras. 19Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor, e os mais pobres dos homens se rejubilarão no Santo de Israel; 20fracassou o prepotente, desapareceu o trapaceiro, e sucumbiram todos os malfeitores precoces, 21os que faziam os outros pecar por palavras, e armavam ciladas ao juiz à porta da cidade e atacavam o justo com palavras falsas. 22Isto diz o Senhor à casa de Jacó, ele que libertou Abraão: “Agora, Jacó não mais terá de envergonhar-se nem seu rosto terá de enrubescer; 23quando contemplarem as obras de minhas mãos, hão de honrar meu nome no meio do povo, honrarão o Santo de Jacó, e temerão o Deus de Israel; 24os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria e os maldizentes concordarão em aprender”.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 27,1.4.13-14 (R: 1a)

 

– O Senhor é minha luz e salvação.
R: O Senhor é minha luz e salvação.

– O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida; perante quem eu tremerei?

R: O Senhor é minha luz e salvação.

– Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu templo.

R: O Senhor é minha luz e salvação.

– Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!

R: O Senhor é minha luz e salvação.

 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 – Eis que virá o nosso Deus com poder e majestade, e ele há de iluminar os olhos de seus servos!

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 9,27-31

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

– Glória a vós, Senhor!

 

– Naquele tempo, 27partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi!” 28Quando Jesus entrou em casa, os cegos se aproximaram dele. Então Jesus perguntou-lhes: “Vós acreditais que eu posso fazer isso?” Eles responderam: “Sim, Senhor”. 29Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: “Faça-se conforme a vossa fé”. 30E os olhos deles se abriram. Jesus os advertiu severamente: “Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo”. 31Mas eles saíram, e espalharam sua fama por toda aquela região.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!

São Nicolau

- por Padre Alexandre Fernandes

O santo deste dia é São Nicolau, muito amado pelos cristãos e alvo de inúmeras lendas. Filho de pais ricos com profunda vida de oração, nasceu Nicolau no ano 275 em Pátara, na Ásia Menor. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira, onde com amor evangelizou os pagãos, mesmo no clima de perseguição que os cristãos viviam.

São Nicolau é conhecido principalmente para com os pobres, já que ao receber por herança uma grande quantia de dinheiro, livremente partilhou com os necessitados. Certa vez, Nicolau sabendo que três pobres moças não tinham os dotes para o casamento e por isso o próprio pai, na loucura, aconselhou a prostituição, jogou pela janela da casa das moças três bolsas com o dinheiro suficiente para os dotes das jovens. Daí que nos países do Norte da Europa, usando da fantasia, viram em Nicolau o velho de barbas brancas que levava presentes às crianças no mês de dezembro.

Sagrado Bispo de Mira, Nicolau conquistou a todos com sua caridade, zelo, espírito de oração  e carisma de milagres. Historiadores relatam que ao ser preso, por causa da perseguição dos cristãos, Nicolau foi torturado e condenado a morte, mas felizmente se salvou em 313, pois foi publicado o edito de Milão que concedia a liberdade religiosa.

São Nicolau participou do Concilio de Nicéia, onde Jesus foi declarado consubstancial ao Pai. Entrou Nicolau no Céu em 324 ao morrer em Mira com fama de santidade e de instrumento de Deus para que muitos milagres chegasse ao povo.

São Nicolau, rogai por nós!

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Conforme a vossa fé… (Mt 9,27-31)

 

            Jesus, o Filho de Deus que se encarnou e viveu entre nós, tem em suas mãos todo o poder. É o Filho do Onipotente. No entanto, em várias passagens do Evangelho nós o vemos, de certo modo, condicionado em suas ações pela maior ou menor fé dos circunstantes.

 

            Em sua própria terra, onde era conhecido como carpinteiro, Jesus “não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles” (Mt 13,58). Em outras situações, a ação milagrosa de Jesus está diretamente ligada à fé dos circunstantes, como quando quatro homens desceram um paralítico pelo teto para que Jesus entrasse em contato com ele. E só toma a iniciativa “ao ver a fé que eles tinham” (Mc 2,5)

 

            No Evangelho de hoje, quando os dois cegos recorrem à compaixão do Mestre, ao tocar os seus olhos ele diz: “Faça-se conforme a vossa fé!” (Mt 9,29) Em outros episódios, Jesus chega a admirar a fé de estrangeiros, como o centurião romano (MT 8,10) e a mulher siro-fenícia (Mt 15,28). Em contraste, quando os adversários cobram de Jesus algum fenômeno à maneira de sinal, ele simplesmente se recusa a dar espetáculo diante de gente incrédula.

 

            Às vezes, como nesta cura dos dois cegos, Jesus nos dá uma primeira impressão de não estar disposto a atender os clamores dos infelizes, em aparente hesitação, como se quisesse aguçar a fé e a confiança dos suplicantes. De fato, a graça de Deus não é algo automático, uma espécie de magia pronta a acontecer diante de um gesto ou palavra especial. Ao contrário, o Senhor parece esperar que nossa fé – algo que se assemelha menos a um poder pessoal do que um vazio interior, prestes a ser preenchido pelo amor divino – lhe dê a oportunidade de atuar.

 

            Nas palavras de Hébert Roux, “o Reino e sua justiça devem ser procurados e esperados; é por isso que Jesus quer que peçamos a ele. Além disso, não lhe basta que os dois cegos o honrem com o título de Filho de Davi, pois ele sabe que equívoco pode envolver semelhante expressão no espírito de quem o emprega (cf. Mt 22,41-46). Ele quer também que os que vão até ele como ao Messias prometido e anunciado, reconheçam nele não só o herdeiro do trono terrestre de Davi, mas o Rei do Reino de Deus, cujo poder é o mesmo de Deus”.

 

            Como seria diferente este mundo se ainda vivêssemos da fé!

 

Orai sem cessar: “Creio, Senhor, mas aumenta a minha fé!” (Mc 9,24)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

18ª Semana do Tempo Comum