06 de Janeiro de 2019

Solenidade da Epifania do Senhor - Domingo

- por Padre Alexandre Fernandes

Antífona da entrada

 

– Eis que veio o Senhor dos senhores; em suas mãos, o poder e a realeza

(Mt 3,1; 1Cr 19,12)

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, que hoje revelastes o vosso Filho às nações, guiando-os pelas estrelas, concedei aos vossos servos e servas, que já vos conhecem pela fé, contemplar-vos um dia face a face no céu. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Is 60, 1-6

 

– Leitura do livro do profeta Isaías – 1Levanta-te, acende as luzes, Jerusalém, porque chegou a tua luz, apareceu sobre ti a glória do Senhor. 2Eis que está a terra envolvida em trevas, e nuvens escuras cobrem os povos; mas sobre ti apareceu o Senhor, e sua glória já se manifesta sobre ti. 3Os povos caminham à tua luz e os reis ao clarão de tua aurora. 4Levanta os olhos ao redor e vê: todos se reuniram e vieram a ti; teus filhos vêm chegando de longe com tuas filhas, carregadas nos braços. 5Ao vê-los, ficarás radiante, com o coração vibrando e batendo forte, pois com eles virão as riquezas de além-mar e mostrarão o poderio de suas nações; 6será uma inundação de camelos e dromedários de Madiã e Efa a te cobrir; virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando a glória do Senhor.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 72, 1-2.7-8.10-11.12-13 (R: 11)

 

– As nações de toda a terra, hão de adorar-vos ó Senhor!

R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos ó Senhor!

 

– Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, vossa justiça ao descendente da realeza!  Com justiça ele governe o vosso povo, com eqüidade ele julgue os vossos pobres.

R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos ó Senhor!

 

– Nos seus dias a justiça florirá e grande paz, até que a lua perca o brilho!
De mar a mar estenderá o seu domínio, e desde o rio até os confins de toda a terra!
R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos ó Senhor!

 

– Os reis de Társis e das ilhas hão de vir e oferecer-lhes seus presentes e seus dons; e também os reis de Seba e de Sabá hão de trazer-lhe oferendas e tributos. Os reis de toda a terra hão de adorá-lo,e todas as nações hão de servi-lo.

 R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos ó Senhor!

 

– Libertará o indigente que suplica, e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
Terá pena do indigente e do infeliz, e a vida dos humildes salvará.

R. As nações de toda a terra hão de adorar-vos ó Senhor!

 

2ª Leitura :  Ef 3, 2-3.5-6

 

– Leitura da carta de são Paulo aos Efésios- Irmãos: 2Se ao menos soubésseis da graça que Deus me concedeu para realizar o seu plano a vosso respeito, 3 e como, por revelação, tive conhecimento do mistério. 5Este mistério, Deus não o fez conhecer aos homens das gerações passadas mas acaba de o revelar agora, pelo Espírito, aos seus santos apóstolos e profetas: 6os pagãos são admitidos à mesma herança, são membros do corpo, são associados à mesma promessa em Jesus Cristo, por meio do Evangelho.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 – Vimos sua estrela no Oriente e viemos adorar o Senhor (Mt 2,2).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt  2, 1-12

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

– Glória a vós, Senhor!  

1Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém,
2perguntando: 'Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.' 3Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado assim como toda a cidade de Jerusalém. 4Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da Lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer. 5Eles responderam: 'Em Belém, na Judéia, pois assim foi escrito pelo profeta: 6E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo.' 7Então Herodes chamou em segredo os magos
e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido.
8Depois os enviou a Belém, dizendo: 'Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo.' 9Depois que ouviram o rei, eles partiram. E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino. 10Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. 11Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram. Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra. 12Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para a sua terra, seguindo outro caminho.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!  

Santa Rafaela Maria

- por Padre Alexandre Fernandes

Santa Rafaela, com sua irmã de sangue, fundou a Congregação das Escravas do Sagrado Coração de Jesus

Nasceu em Córdova, na Espanha, no ano de 1850. Juntamente com sua irmã de sangue, fundou a Congregação das Escravas do Sagrado Coração de Jesus. Dedicadas à adoração ao Santíssimo Sacramento e ao cuidado das crianças, Santa Rafaela ocupou o cargo de Madre Superiora e sua irmã – co-fundadora – de ecônoma geral. Mas, no ano de 1893, a irmã de Santa Rafaela foi partilhando com outras conselheiras a ponto de convencê-las de que sua irmã, Santa Rafaela Maria, por não ser apta na economia, também não poderia continuar governando a congregação. Diante daquele consenso, ela deixou o cargo e sua irmã o ocupou e foi superiora durante 10 anos.

Nos 22 anos de vida que restaram a essa grande serva de Deus, ela viveu na humildade, fazendo os serviços que davam a ela sempre com muito amor e obediência na graça de Deus. Santa Rafaela Maria foi uma verdadeira adoradora diante do Santíssimo Sacramento. Ao falecer, em 1925, partiu para a glória. Não passou muito tempo, veio à luz toda a trama de sua irmã, que não foi reconhecida como santa.

Santa Rafaela Maria, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Onde está o Rei?… (Mt 2,1-12)

 

            O verdadeiro fiel é alguém que faz perguntas. Exatamente por ter fé, ele interroga. Os homens de fé atravessam a história a interrogar. Astros e estrelas recebem seus questionamentos. O ciclo das horas e das estações, sismos e tempestades, anúncios e profecias – tudo é motivo para questionar, perguntar, interrogar. O homem de fé sabe que tem de haver uma resposta…

 

            Neste Evangelho, no solene dia da Epifania – a manifestação de Deus acima dos véus dos mistérios -, a pergunta é apresentada por magos pagãos, gente não incluída no povo que recebera a Palavra desde o Sinai. Ouçamos Urs von Balthasar:

 

            “O Evangelho descreve a vinda dos astrólogos pagãos que viram erguer-se a estrela da redenção e a seguiram”. Deus lhes dirigiu a palavra através de um astro inabitual no meio de suas constelações habituais, e esta palavra os comoveu e levou-os a prestar ouvidos, enquanto Israel, habituado à palavra de Deus, tornou-se surdo a tais palavras de revelação: ele não quer ser perturbado no curso habitual de suas dinastias. Tal como a Igreja, com frequência, quando um santo a desconcerta com sua mensagem.

 

            A pergunta inocente desses estrangeiros – “Onde está o rei que acaba de nascer?” – apresentada aos judeus ou à Igreja, cria embaraços e até medo. A consequência junto a Herodes será um projeto assassino prudentemente velado; mas os astrólogos, guiados pela estrela, chegam a seu objetivo, prestam homenagem ao Menino e se esquivam, orientados pela providência de Deus, sem serem inquietados.

 

            O acontecimento é simbólico; ele anuncia a eleição dos pagãos. Mais de uma vez, Jesus encontrará entre eles uma fé maior do que em Israel. Muitas vezes, são esses convertidos (raramente desejados) que abrem para a Igreja novos e fecundos caminhos (cf. At 9,26-30).”

 

            O burguês – inclusive o cristão acomodado – não tem o costume de fazer muitas perguntas. As coisas são como são e… a vida segue. No máximo, pergunta-se sobre o clima de amanhã e a cotação da Bolsa de Valores. O resto, deixar correr…

 

            E quem sou eu? De onde venho? Para onde vou? Por que Deus me chamou à existência? Qual a minha missão? Qual a minha contribuição para a sociedade humana? Qual a vontade de Deus para mim? Seria bom perguntar…

 

Orai sem cessar: “Se quiserdes saber, é só perguntar!” (Is 21,12b)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.