06 de Março de 2019

Quarta-feira de Cinzas

- por Padre Alexandre Fernandes

 

QUARTA FEIRA – DIA DAS CINZAS – JEJUM E ABSTINÊNCIA

(Roxo, prefácio da Quaresma IV ofício do dia da IV  semana)

 

Antífona da entrada

 

– Ó Deus, vós tendes compaixão de todos e nada do que criastes desprezais; perdoais nossos pecados pela penitência porque sois o Senhor nosso Deus

(Sb 11,24.27).

 

Oração do dia

 

– Concedei-nos, ó Deus todo-poderoso, iniciar com este dia de jejum o tempo da Quaresma, para que a penitência nos fortaleça no combate contra o espírito do mal. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Jl 2, 12-18

 

– Leitura da profecia de Joel: 12“Agora, diz o Senhor, voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos; 13rasgai o coração, e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus; ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo”. 14Quem sabe, se ele se volta para vós e vos perdoa, e deixa atrás de si a bênção, oblação e libação para o Senhor, vosso Deus?  15Tocai trombeta em Sião, prescrevei o jejum sagrado, convocai a assembleia; 16congregai o povo, realizai cerimônias de culto, reuni anciãos, ajuntai crianças e lactentes; deixe o esposo seu aposento, e a esposa, seu leito. 17Chorem, postos entre o vestíbulo e o altar, os ministros sagrados do Senhor, e digam: “Perdoa, Senhor, a teu povo, e não deixes que esta tua herança sofra infâmia e que as nações a dominem”. Por que se haveria de dizer entre os povos: “Onde está o Deus deles?” 18Então o Senhor encheu-se de zelo por sua terra e perdoou ao seu povo.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 51,3-4.5-6a.12-13.14.17 (R: 3a)

 

– Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!
R: Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!

– Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão do vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado e apagai completamente a minha culpa!

R: Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!

– Eu reconheço toda a minha iniquidade, o meu pecado está sempre à minha frente. Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

R: Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!

– Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

R: Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!

– Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso! Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, e minha boca anunciará vosso louvor!

R: Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!
 

2ª Leitura: 2Cor 5,20-6.2

 

– Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios: Irmãos: 20Somos embaixadores de Cristo, e é Deus mesmo que exorta através de nós. Em nome de Cristo, nós vos suplicamos: deixai-vos reconciliar com Deus. 21Aquele que não cometeu nenhum pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele nós nos tornemos justiça de Deus. 6,1Como colaboradores de Cristo, nós vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus, 2pois ele diz: “No momento favorável, eu te ouvi e, no dia da salvação, eu te socorri”. É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 6, 1-6.16-18

 

Jesus Cristo, sois benditos, sois ungido de Deus Pai!

Jesus Cristo, sois benditos, sois ungido de Deus Pai!

 

– Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: Não fecheis os corações como em Meriba

(Sl 94,8)

 

 Jesus Cristo, sois benditos, sois ungido de Deus Pai!

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

– Glória a vós, Senhor!   

– Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 1“Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus.
2Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. 3Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, 4de modo que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa. 5Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. 6Ao contrário, quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa. 16Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando.Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. 17Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, 18para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

Santa Rosa de Viterbo

- por Padre Alexandre Fernandes

Santa Rosa, antes mesmo de alcançar idade, resolveu livremente vestir um hábito franciscano

A santidade é uma graça que o Espírito Santo quer dar a todos, porém, é Ele que vai no tempo d’Ele manifestando para o mundo este dom dado a quem luta diariamente. Por exemplo, Santa Rosa – que lembramos neste dia – muito cedo começou a externar atitudes extraordinárias de coragem e amor ao Senhor.

Nasceu em Viterbo, no ano de 1233, numa pobre e humilde família; quando tinha apenas três anos conta-se que pela sua oração Jesus reviveu uma tia. Com sete anos, Rosa pegou uma forte doença que acabou sendo um meio para sua vida de consagração, pois Nossa Senhora apareceu a ela, restituindo sua saúde e chamando-a à uma total entrega de vida.

Santa Rosa, antes mesmo de alcançar idade, resolveu livremente vestir um hábito franciscano, já que sua meta era entrar na Ordem de Santa Clara de Assis. Menina cheia do Espírito Santo, não ficou parada diante dos hereges cátaros, que semeavam a rejeição às autoridades.

Com apenas doze anos, era instrumento eficaz nas mãos do Pai Celeste, por isso anunciava o Evangelho e denunciava as artimanhas de satanás. Banida pelo imperador, continuou profetizando. Com o falecimento do imperador, ela voltou como heroína para Viterbo. Mesmo sem ser aceita com dezesseis anos pelas Irmãs Clarissas, Santa Rosa perseverou no caminho da santidade e, aos dezoito anos, foi acometida de uma doença que a levou para a Eterna Morada de Deus.

Santa Rosa de Viterbo, rogai por nós!

FONTE: CANÇÃO NOVA 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Em lugar secreto… (Mt 6,1-6.16-18)

 

            Nosso Deus é um Deus misterioso. Gosta de segredos. Não gosta de fazer propaganda…

 

Não é fácil para nós, imersos em uma sociedade pragmática, em busca de resultados, adoradora da eficiência, conviver com um Deus que age no silêncio. Um Deus que é onipotente, mas encolhe as mãos e se deixa limitar por nossas mediações humanas. Chegamos a reclamar que a Igreja precisa melhorar o seu marketing!… Nós gostaríamos de um Deus espalhafatoso, com os trovões do Sinai e os tsunamis do Mar Vermelho, arrasando os egípcios e filisteus, e convencendo os incrédulos à força. E – naturalmente – nós seríamos os vencedores com o Deus vitorioso!

 

            Deus é diferente. Trabalha ocultamente, sob a casca das coisas. Deus age no interior dos corações. Transforma o mal no bem. E não faz propaganda de sua bondade ativa. Ele não quer convencer. Prefere seduzir…

 

            No tempo de Jesus, os fariseus eram os mais “religiosos” de todos. E faziam questão de demonstrar publicamente como eram cumpridores dos mandamentos e preceitos. Na expressão usada por Jesus, eles “tocavam trombeta” adiante de si… No fundo, faziam o bem para serem louvados e aplaudidos. Sua motivação não era reta. Tal como certos filantropos que usam a filantropia para levar vantagens e “vender uma imagem” positiva de suas pessoas ou de suas empresas.

 

            No tempo da Quaresma, vestida de roxo, a Igreja nos convida a um mergulho em nosso íntimo. Em oração e jejum, temos um encontro marcado com o Senhor no “quarto fechado” de nosso coração. O Evangelho nos alerta: não precisamos fechar a cara, amarrar a tromba, para mostrar algum traço de piedade em nosso exterior. Ao contrário, fala de lavar o rosto e perfumar os cabelos: irradiar alegria e paz à nossa volta.

 

            Só mesmo Deus é capaz de ler os segredos de nosso coração. Só a ele cabe avaliar se o amamos de fato. Se nossa vida é uma resposta amorosa ao seu chamado. Se nossos atos refletem a verdade interior ou se, infelizmente, merecemos o velho ditado: “por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento”…

 

            Aliás, o jejum nos exorta a abrir mão de nossa própria força e energia, para contar em tudo com a força que vem de Deus, o dinamismo do Espírito Santo, o único que pode curar o mundo e santificar os homens…

 

Orai sem cessar: “Nossos olhos estão voltados para o Senhor!” (Sl 123,2)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.