07 de Outubro de 2019

27ª semana comum Segunda-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

SEGUNDA FEIRA – NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

(branco, pref. de Maria – ofício da memória)

 

Antífona da entrada

 

– Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre (Lc, 1.28.42).

 

Oração do dia

 

– Derramai ó Deus, a vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo, pela mensagem do anjo, a encarnação do Cristo, vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição pela intercessão da virgem Maria. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: At 1,12-14

 

– Leitura dos Atos dos Apóstolos – Depois que Jesus subiu ao céu, 12os apóstolos voltaram para Jerusalém, vindo do monte das Oliveiras, que fica perto de Jerusalém, a mais ou menos um quilômetro. 13Entraram na cidade e subiram para a sala de cima, onde costumavam ficar. Eram Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão Zelota e Judas, filho de Tiago. 14Todos eles perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Lc 1,46-47.48-49.50-51.52-53.54-55 (R: Lc 1, 49)

 

– O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.
R: O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

– A minh’alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador.

R: O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

– Pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome!

R: O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

– Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos.

R: O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

– Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos e despediu, sem nada, os ricos.

R: O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

– Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

R: O poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Maria, alegra-te, ó cheia de graça, o Senhor é contigo; és bendita entre todas as mulheres da terra! (Lc 1,28).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 1,26-38.

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo, 26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” 29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”. 34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

Nossa Senhora do Rosário

- por Padre Alexandre Fernandes

Maria apareceu a São Domingos e indicou-lhe o Rosário como potente arma para a conversão

Esta festa foi instituída pelo Papa Pio V em 1571, quando celebrou-se a vitória dos cristãos na batalha naval de Lepanto. Nesta batalha os cristãos católicos, em meio a recitação do Rosário, resistiram aos ataques dos turcos otomanos vencendo-os em combate.

A celebração de hoje convida-nos à meditação dos Mistérios de Cristo, os quais nos guiam à Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição do Filho de Deus.

A origem do Rosário é muito antiga, pois conta-se que os monges anacoretas usavam pedrinhas para contar o número das orações vocais. Desta forma, nos conventos medievais, os irmãos leigos dispensados da recitação do Saltério (pela pouca familiaridade com o latim), completavam suas práticas de piedade com a recitação de Pai-Nossos e, para a contagem, o Doutor da Igreja São Beda, o Venerável (séc. VII-VIII), havia sugerido a adoção de vários grãos enfiados em um barbante.

Na história também encontramos Maria que apareceu a São Domingos e indicou-lhe o Rosário como potente arma para a conversão: “Quero que saiba que, a principal peça de combate, tem sido sempre o Saltério Angélico (Rosário) que é a pedra fundamental do Novo Testamento. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para Deus, com a oração do meu Saltério”.

Essa devoção, propagada principalmente pelos filhos de São Domingos, recebe da Igreja a melhor aprovação e foi enriquecida por muitas indulgências. Essa grinalda de 200 rosas – por isso Rosário – é rezado praticamente em todas as línguas, e o saudoso Papa João Paulo II e tantos outros Papas que o precederam recomendaram esta singela e poderosa oração, com a qual, por intercessão da Virgem Maria, alcançamos muitas graças de Jesus, como nos ensina a própria Virgem Santíssima em todas as suas aparições.

Nossa Senhora do Rosário, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Faça-se em mim… (Lc 1,26-38)

 

            Este Evangelho da Anunciação – selecionado para a memória litúrgica de Nossa Senhora do Rosário – é uma das perícopes evangélicas mais repetidas na liturgia da Igreja. E com razão, pois se trata do momento da Encarnação do Verbo de Deus. São Lucas narra o episódio da História da Salvação em que uma jovem mulher, escolhida por Deus, é convidada a prestar seu assentimento ao desígnio de Deus em favor da Humanidade. E a resposta de Maria é um SIM que salva. Ela coopera com o Salvador.

 

            Assim, é por Maria – através de Maria – que nosso Deus se inseriu no vir-a-ser do mundo para lhe devolver o seu sentido (já perdido pelo contrassenso do pecado). É nela, Maria, que a humanidade inteira diz SIM ao plano de salvação. Ao dizer FIAT ao anjo, Maria gera o ser de graça do gênero humano. É por isso que, sendo Mãe de Deus, ela é também Mãe dos homens.

E nisto reside toda a grandeza de Maria: ela é, para a Encarnação do Verbo e, assim, para a salvação do mundo, a única colaboradora indispensável de Deus!

 

            Ainda é preciso deixar claro que Deus é infinitamente livre e que, de maneira alguma, sua vontade poderia ser condicionada. Logo, o consentimento de Maria não é, pois, a condição sine qua non [= indispensável] da Encarnação. Mas, sendo o plano de Deus aquilo que sabemos dele, é justo falar de um “consentimento necessário”. Foi assim que Deus escolheu e preferiu agir para nos salvar.

 

            Deus – o Criador de nossa liberdade – é sempre o primeiro a respeitar nosso livre arbítrio. Cheio de amor e respeito por nós, ele jamais nos possuiria ou arrebataria como uma presa. Assim, é em plena e total liberdade que a Santíssima Virgem assume sua missão junto ao Verbo.

 

            Ao longo da História da Igreja, uma legião de fiéis se inspirou no SIM de Maria para darem, também eles, sua contribuição pessoal para a edificação do Reino de Deus entre os homens.

 

            No meu caso pessoal, estou decidido a dizer o mesmo SIM?

 

Orai sem cessar: “Faça-se em mim conforme a tua Palavra!” (Lc 1,38)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

18ª Semana do Tempo Comum