10 de Agosto de 2019

18ª semana comum Sábado

- por Padre Alexandre Fernandes

SABADO – SÃO LOURENÇO – DIÁCONO E MÁRTIR

(Vermelho, glória, pref. dos mártires – ofício da festa)

 

Antífona da entrada

 

– São Lourenço entregou-se a si mesmo ao serviço da Igreja. Foi digno de sofrer o martírio e de subir com alegria para junto do Senhor Jesus.  (Sl 73,20.19.22).

 

Oração do dia

 

–  Ó Deus, o vosso diácono Lourenço, inflamado de amor por vós, brilhou pela fidelidade no vosso serviço e pela glória do martírio; concedei-nos amar o que ele amou e praticar o que ensinou. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: 2Cor 9,6-10

 

– Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios: Irmãos, 6“Quem semeia pouco colherá também pouco e quem semeia com largueza colherá também com largueza”. 7Dê cada um conforme tiver decidido em seu coração, sem pesar nem constrangimento; pois Deus “ama quem dá com alegria”. 8Deus é poderoso para vos cumular de toda sorte de graças, para que, em tudo, tenhais sempre o necessário e ainda tenhais de sobra para toda obra boa, 9como está escrito: “Distribuiu generosamente, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre”. 10Aquele que dá a semente ao semeador e lhe dará o pão como alimento, ele mesmo multiplicará as vossas sementes e aumentará os frutos da vossa justiça.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 112,1-2.5-6.7-8.9 (R: 5a)

 

– Feliz o homem caridoso e prestativo!
R: Feliz o homem caridoso e prestativo!

– Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho sua lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos!

R: Feliz o homem caridoso e prestativo!

– Feliz o homem caridoso e prestativo, que resolve seus negócios com justiça. Porque jamais vacilará o homem reto, sua lembrança permanece eternamente!

R: Feliz o homem caridoso e prestativo!

– Ele não teme receber notícias más: confiando em Deus, seu coração está seguro. Seu coração está tranquilo e nada teme, e confusos há de ver seus inimigos.

R: Feliz o homem caridoso e prestativo!

– Ele reparte com os pobres os seus bens, permanece para sempre o bem que fez, e crescerão a sua glória e seu poder.

R: Feliz o homem caridoso e prestativo!
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Aquele que me segue não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida (Jo 8,12).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 12,24-26

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo disse Jesus a seus discípulos: 24“Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. 25Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. 26Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

São Lourenço

- por Padre Alexandre Fernandes

São Lourenço que sofreu o martírio em 258, não parava de interceder por todos

Festejamos, neste dia, a vida de santidade e martírio do Diácono que nem chicotes, algozes, chamas, tormentos e correntes puderam contra sua fé e amor ao Cristo. Lourenço, espanhol, natural de Huesca, foi um Diácono de bom humor que servia a Deus na Igreja de Roma durante meados do Século III.

Conta-nos a história que São Lourenço como primeiro dos Diáconos tinha grande amizade com o Papa Sisto II, tanto assim que ao vê-lo indo para o martírio falou: “Ó pai, aonde vais sem o teu filho? Tu que jamais ofereceste o sacrifício sem a assistência do teu Diácono, vais agora sozinho, para o martírio?”. E o Papa respondeu: “Mais uns dias e te aguarda uma coroa mais bonita!”. São Lourenço era também responsável pela administração dos bens da Igreja que sustentava muitos necessitados.

Diante da perseguição do Imperador Valeriano, o prefeito local exigiu de Lourenço os tesouros da Igreja, para isto o Santo Diácono pediu um prazo, o qual foi o suficiente para reunir no átrio os órfãos, os cegos, os coxos, as viúvas, os idosos… todos os que a Igreja socorria, e no fim do prazo – com bom humor – disse: “Eis aqui os nossos tesouros, que nunca diminuem, e podem ser encontrados em toda parte”.

Sentindo-se iludido, o prefeito sujeitou o santo a diversos tormentos, até colocá-lo sobre um braseiro ardente; São Lourenço que sofreu o martírio em 258, não parava de interceder por todos, e mesmo assim encontrou no Espírito Santo força para dizer no auge do sofrimento na grelha: “Vira-me que já estou bem assado deste lado”.

A Roma cristã venera o santo espanhol com a mesma veneração e respeito com que honra seus primeiros Apóstolos. Depois de São Pedro e São Paulo, a festa de São Lourenço foi a maior da antiga liturgia romana. O que foi Santo Estevão em Jerusalém, isso mesmo o foi São Lourenço em Roma.

São Lourenço, rogai por nós!

 

FONTE: Canção Nova 
 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

O grão que cai na terra… (Jo 12,24-26)

 

            Houve um tempo em que os Evangelhos – em especial o de João – me incomodavam por sua aparente falta de lógica. Foi preciso tempo, maturidade e, acima de tudo, uma experiência de Deus para compreender que nossa lógica não merece crédito.

 

            Exemplo? Acreditamos que viver e morrer sejam antípodas, polos de uma antítese. E não é assim. Viver e morrer são etapas de um ciclo vital, quando um depende inteiramente do outro. Se eu fosse um agricultor, teria compreendido mais cedo…

 

            Nesta passagem que a Liturgia escolheu para a memória de São Lourenço, o diácono romano queimado vivo em uma grelha, Jesus ensina que a vida se perpetua quando oferecida em sacrifício. A imagem que ele nos apresenta é o humilde grão de trigo que, lançado à terra, deve morrer para germinar. Tão óbvio, tão i-lógico para os conceitos do mundo prático!

 

            O mundo tem sede de vida, teme a morte, assusta-se com a possível implosão do planeta em consequência de um desastre ambiental. E a saída nos é oferecida no gesto de dar a vida para que o mundo viva. Aliás, Jesus Cristo no-lo explicou e… praticou.

 

            Um de meus sonetos – AGRICULTURA – de junho de 2006, acolhe esta lição:

 

Quando o mundo tem fome e o medo aterra

Os corações e paralisa a mente,

Devo insistir e prosseguir em frente

A trabalhar e semear a terra…

 

Um mistério escondido ali se encerra

Quando no solo morre uma semente:

A Esperança é uma vítima inocente

Que a mão do homem sacrifica e enterra.

 

Bendito grão que a terra-mãe abriga!

Renascerá para tornar-se espiga

Enquanto o homem dorme e a Vida cresce…

 

E quando vem o Sol e a noite passa,

Nosso trigo se faz farinha e massa

Para que Deus se encarne em nossa messe…

 

Orai sem cessar: “Eles farão reviver o trigo…” (Os 14,8)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.