10 de Janeiro de 2019

Quinta-feira depois da Epifania

- por Padre Alexandre Fernandes

Antífona da entrada

 

– No princípio e antes dos séculos o Verbo era Deus e dignou-se nascer para salvar o mundo (I Jo 1, 1).

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, pelo nascimento de vosso Filho, a aurora do vosso dia eterno despontou sobre todas as nações. Concedei ao vosso povo conhecer a fulgurante glória do seu redentor e por ele chegar à luz que não se extingue. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: 1 Jo 4, 19-5,4

 

– Leitura da primeira carta de são João – Caríssimos: 19quanto a nós, amamos a Deus porque ele nos amou primeiro. 20Se alguém disser: “Amo a Deus”, mas entretanto odeia o seu irmão, é um mentiroso; pois quem não ama o seu irmão, a quem vê, não poderá amar a Deus, a quem não vê. 21E este é o mandamento que dele recebemos: aquele que ama a Deus, ame também o seu irmão.
5,1Todo o que crê que Jesus é o Cristo nasceu de Deus, e quem ama aquele que gerou alguém, amará também aquele que dele nasceu. 2Podemos saber que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. 3Pois isto é amar a Deus: observar os seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados, 4pois todo o que nasceu de Deus vence o mundo. E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 72, 1-2.14-15bc.17 (R: 11)

 

– As nações  de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!
R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!

– Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, vossa justiça ao descendente da realeza! Com justiça ele governe o vosso povo, com equidade ele julgue os vossos pobres.

R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!

– Há de livrá-los da violência e opressão, pois vale muito o sangue deles a seus olhos! Hão de rezar também por ele sem cessar, bendizê-lo e honrá-lo cada dia.

R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!

– Seja bendito o seu nome para sempre! E que dure como o sol sua memória! Todos os povos serão nele abençoados, todas as gentes cantarão o seu louvor.

R: As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 – O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o evangelho (Lc 4,18).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc  4, 14-22a

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas.

– Glória a vós, Senhor!  

– Naquele tempo, 14Jesus voltou para a Galileia, com a força do Espírito, e sua fama espalhou-se por toda a redondeza. 15Ele ensinava nas suas sinagogas e todos o elogiavam. 16E veio à cidade de Nazaré onde se tinha criado. Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado, e levantou-se para fazer a leitura.
17Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, Jesus achou a passagem em que está escrito: 18“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos 19e para proclamar um ano da graça do Senhor”.
20Depois fechou o livro, entregou-o ao ajudante, e sentou-se. Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele. 21Então começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”. 22aTodos davam testemunho a seu respeito, admirados com as palavras cheias de encanto que saíam da sua boca.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!  

Frei Gonçalo de Amarante

- por Padre Alexandre Fernandes

O amor apostólico de Frei Gonçalo o levava a ser um sinal no meio da sociedade

Nasceu no século XIII, em Arriconha, freguesia de Tagilde, próximo a Guimarães, norte de Portugal. Muito cedo, ele se viu chamado ao sacerdócio. Em sua formação humana e cristã, Frei Gonçalo passou pelo Convento Beneditino, depois por Braga, lugar onde foi ordenado pelo Arcebispo. Não demorou muito para ser abade em São Paio.

Frei Gonçalo de Amarante pôde fazer várias peregrinações que muito enriqueceram sua vida espiritual e também apostólica. Ele foi a Roma, visitou os túmulos de São Pedro e São Paulo e tomou um “banho” de Igreja. Visitou a Terra Santa, conheceu os lugares santos por onde Jesus passou. Seu amor foi crescendo cada vez mais por Nosso Senhor.

Depois de voltar dessas peregrinações, ele teve ainda mais ardor para evangelizar. Discerniu sua vida religiosa e entrou para a família dominicana, daí vem o “frei”. Quanto ao “Amarante”, com seus irmãos de comunidade, ele foi para a cidade de Amarante em missão. Ele ficou conhecido como um segundo fundador dessa cidade, porque o seu amor apostólico o levava a ser um sinal no meio da sociedade.

Em 1262, partiu para a glória, deixando para o povo de Amarante, para todas as gerações ao norte de Portugal, para toda Europa e para todo o mundo, um testemunho de santidade que colabora para uma civilização mais justa.

Frei Gonçalo de Amarante, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Ele me ungiu… (Lc 4,14-22a)

 

            É pena que uma palavra tão rica, tão preciosa, tenha sido tão ignorada, e mesmo degradada. Refiro-me à palavra “Cristo”, que acabou por se tornar o novo nome do Verbo de Deus que se fez carne, nascendo de Mulher, e veio habitar entre nós.

 

O termo foi “estragado” a tal ponto, que se tornou o nome de um jogo de sinuca, onde o perdedor é o “cristo” e paga o tempo da partida. O próprio dicionário Aurélio o registra: “Cristo. Substantivo masculino.[…] 3. Bras. Pop. Vítima de logro, perseguição, zombaria, coisa desagradável. Bancar o cristo. 1. Bras. Expiar ou pagar pelos outros; ser o cristo.

 

            Neste Evangelho, quando Jesus faz seu primeiro “sermão” na humilde sinagoga de Nazaré, ele diz: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu”. No original grego de Lucas, a forma verbal que traduzimos por “ungiu” é “echrisen” dentro dela está a raiz de “cháris”, o carisma, a graça, da mesma família que “crisma”, o nome do sacramento da plenitude do Espírito Santo através da unção com o óleo santo.

 

            No mundo da Bíblia, quando alguém é designado para uma função, ele passa por uma “unção” que o capacita com o dinamismo do Espírito. Assim foram ungidos os reis, como Davi, e os profetas, como Isaías.

Os hebreus esperavam pelo Messias [masiah em hebraico; christos em grego], palavra que significa exatamente o “ungido” de Deus. Ali na sinagoga, Jesus se apresenta como o esperado de Israel… e é rejeitado…

 

            Também poderíamos traduzir “Cristo” por “consagrado”: aquele que Deus separou para si. Tal como acontece no Batismo cristão, quando o catecúmeno é ungido, adotado como filho, configurado com Cristo e inabitado pelo Espírito Santo.

 

            Depois disto, podemos afirmar sem nenhum erro que todo cristão é um “cristificado”. Sua religião consiste em um processo crescente e permanente de identificação com o próprio Filho de Deus. Uma vez ungida, consagrada e possuída por Deus, a pessoa do batizado se identifica com a pessoa de Jesus, o Cristo. Por isso mesmo, Paulo poderá escrever: “Haja entre vós o mesmo sentir e pensar que no Cristo Jesus”. (Fl 2,5) E ainda: “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. (Gl 2,20)

           

Orai sem cessar: “Teu óleo me unge a cabeça…” (Sl 23,5)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.