10 de Março de 2021

3a semana da Quaresma Quarta-feira

- por Pe. Alexandre

QUARTA-FEIRA DA III SEMANA DA QUARESMA
(roxo – ofício do dia)

 

Antífona da entrada

 

– Orientai meus passos, Senhor, segundo a vossa palavra, e que o mal não domine sobre mim! (Sl 118, 133)

 

Oração do dia

 

– Ó Deus de bondade, concedei que, formados pela observância da Quaresma e nutridos por vossa palavra, saibamos mortificar-nos para vos servir com fervor, sempre unânimes na oração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Dt 4,1.5-9

– Leitura do livro do Deuteronômio – Naqueles dias, Moisés falou ao povo, dizendo: 1“Agora, Israel, ouve as leis e os decretos que eu vos ensino a cumprir, para que, fazendo-o, vivais e entreis na posse da terra prometida que o Senhor Deus de vossos pais vos dará. 5Eis que vos ensinei leis e decretos conforme o Senhor meu Deus me ordenou, para que os pratiqueis na terra em que ides entrar e da qual tomareis posse. 6Vós os guardareis, pois, e os poreis em prática, porque neles está vossa sabedoria e inteligência perante os povos, para que ouvindo todas as leis, digam: ‘Na verdade, é sábia e inteligente esta grande nação!’ 7Pois, qual é a grande nação cujos deuses lhe são tão próximos quanto o Senhor nosso Deus, sempre que o invocamos? 8E que nação haverá tão grande que tenha leis e decretos tão justos, quanto esta lei que hoje vos ponho diante dos olhos? 9Mas toma cuidado! Procura com grande zelo não te esqueceres de tudo o que viste com os próprios olhos, e nada deixes escapar do teu coração por todos os dias de tua vida; antes, ensina-o a teus filhos e netos”.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 147B, 12-13.15-16.19-20 (R: 8)

 

– Glorifica o Senhor, Jerusalém!

R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

 

– Glorifica o Senhor, Jerusalém! Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas, e os teus filhos em teu seio abençoou.

R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

 

– Ele envia suas ordens para a terra, e a palavra que ele diz corre veloz. Ele faz cair a neve como lã e espalha a geada como cinza.

R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

 

– Anuncia a Jacó sua palavra, seus preceitos e suas leis a Israel. Nenhum povo recebeu tanto carinho, a nenhum outro revelou os seus preceitos.

R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!


Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 5, 17-19

 

Glória a Cristo, palavra do Pai, que é amor!

Glória a Cristo, palavra do Pai, que é amor!

 

– Senhor, tuas palavras são espírito, são vida; só tu tens palavra de vida eterna! (Jo 6,63.68)

 

Glória a Cristo, palavra do Pai, que é amor!

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

– Glória a vós, Senhor!

 

– Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!

Quarenta mártires de Sebaste

- por Pe. Alexandre

No ano de 320 esses homens deram testemunho no martírio. Em 313 os imperadores Constantino e Licínio, assinaram o Edito de Milão, que dava liberdade às religiões, para a manifestação pública. Passado um tempo, Licínio começou a perseguir a Igreja de Cristo, prejudicando padres, bispos e famílias.

Nesse contexto, estavam quarenta homens, oficiais e soldados cristãos, que serviam ao Império. Licínio retomou uma lei onde para servir o Império era preciso sacrificar aos deuses. Muitos, inclusive estes quarenta homens, não aceitaram.

Deixaram por escrito suas despedidas, pediram orações aos bispos e diáconos, e que seus corpos fossem colocados todos juntos. Por não renunciarem a Jesus, foram colocados em um tanque gelado de um dia para o outro, para depois serem queimados.

Um deles buscou a pia de água temperada, separada para aqueles que quisessem apostatar, mas faleceu ali mesmo, com o choque térmico.

Os outros perseveraram por amor a Jesus.

Quarenta mártires de Sebaste, rogai por nós!

Meditação

- por Pe. Alexandre

Esse será grande! (Mt 5,17-19)

 

A humanidade sempre tem sonhos de grandeza. As mães dizem aos filhos: “Seja um grande homem!” Os livros de História falam em grandes heróis, grandes generais, grandes navegadores. Os poderosos pretendem imortalizar-se por suas grandes obras: pirâmides, jardins suspensos, muralhas quilométricas, estradas transmazônicas, estátuas monumentais, torres que chegam ao céu.

Passa o tempo e nivela o terreno. Chuvas e ventos, terremotos e tempestades, inundações e ataques terroristas: e a grandeza humana é transformada em lama e pó. Não é à toa que grandes navegadores morreram na miséria. Grandes generais se suicidaram. Grandes pensadores acabaram recolhidos em hospícios. Uma imagem forte para a loucura de nossas grandezas…

Deus vê as coisas de modo bem diferente. Ele – o único que é grande! – sabe que somos pequenos. Sabe que somos uns vermezinhos. E Deus nos ama em nossa extrema pequenez. No entanto, o Senhor nos abre um caminho para o crescimento: a participação em sua obra de salvação.

No Evangelho de hoje, Jesus afirma que será grande aquele que cumprir a Lei de Deus e a levar ao conhecimento dos outros. É assim que um ex-cobrador de impostos se torna um grande evangelista. Um velho pescador vem a ser um grande Papa. Um ex-guerrilheiro é promovido a grande mártir.

Claro, nada que o mundo pagão entenda como grandeza. Nada de glórias humanas. Nada de fama, riqueza ou poder, pois o Reino inverte (subverte?) todos os valores humanos. Nele, mendigos como Francisco de Assis atraem multidões. Mulheres frágeis como Teresa de Calcutá acabam recebendo o Prêmio Nobel. Uma mocinha da roça, como Maria de Nazaré, é escolhida para ser a Mãe de Deus…

Quando alguém chega a compreender a tábua de valores do Espírito, não consegue mais viver a vida velha. É quando o capitão Iñigo de Loyola troca a espada pelo Evangelho. Francisco troca a fortuna do pai pela pobreza dos mendigos. Clara corta os cabelos que atraíam os olhares.

Centrados em um Amor que o mundo não pode dar, eles tornaram-se grandes santos. Por sua santidade, os grandes parecem pequenos! Alfabetizam crianças catarrentas, dão catecismo na favela, trocam o curativo dos leprosos. Cumprem ordens, ganham mal, morrem pobres.

 

E quando chegam ao céu, o próprio Rei lhes vem lavar os pés…

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.