18 de Junho de 2019

11ª semana do tempo Comum- Terça-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

TERÇA FEIRA – XI SEMANA DO TEMPO COMUM

(Verde – Ofício do dia)

 

Antífona da entrada

 

– Ouvi, Senhor, a voz do meu apelo: tende compaixão de mim e atendei-me; vós sois meu protetor: não me deixeis; não me abandoneis, ó Deus, meu salvador!  (Sl 26,7.9)

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, força daqueles que esperam em vós, sede favorável ao meu apelo e, como nada podemos em nossa fraqueza, dai-nos sempre o socorro da vossa graça, para que possamos querer e agir conforme vossa vontade, seguindo vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: 2Cor 8,1-9

 

– Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios: 1Irmãos, queremos levar ao vosso conhecimento a graça de Deus que foi concedida às Igrejas da Ma­ce­dônia. 2Com efeito, em meio a grandes tribulações que as provaram, a sua extraordinária alegria e extrema pobreza transbordaram em tesouros de liberalidade. 3Eu sou testemunha de que esses irmãos, segundo os seus recursos e mesmo além dos seus recursos, por sua própria iniciativa 4e com muita insistência, nos pediram a graça de participar da coleta em favor dos santos de Jerusalém. 5E, indo além de nossas expectativas, puseram-se logo à disposição do Senhor e também à nossa, pela vontade de Deus. 6Por isso solicitamos a Tito que, assim como a iniciou, ele leve a bom termo entre vós essa obra de generosidade. 7E como tendes tudo em abundância – fé, eloquência, ciência, zelo para tudo, e a caridade de que vos demos o exemplo – assim também procurai ser abundantes nesta obra de generosidade. 8Não é uma ordem que estou dando; mas é para testar a sinceridade da vossa caridade que eu lembro a boa vontade de outros. 9Na verdade, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo: de rico que era, tornou-se pobre por causa de vós, para que vos torneis ricos, por sua pobreza.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 146,2.5-6.7.8-9a (R: 1)

 

– Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
R: Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

– Bendirei ao Senhor toda a vida, cantarei ao meu Deus sem cessar!

R: Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

– É feliz todo homem que busca seu auxílio no Deus de Jacó, e que põe no Senhor a esperança. O Senhor fez o céu e a terra, fez o mar e o que neles existe. O Senhor é fiel para sempre.

R: Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

– Faz justiça aos que são oprimidos; ele dá alimento aos famintos, é o Senhor quem liberta os cativos.

R: Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

– O Senhor abre os olhos aos cegos, o Senhor faz erguer-se o caí­do, o Senhor ama aquele que é justo. É o Senhor quem protege o estrangeiro.

R: Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
 

Aclamação ao santo Evangelho.

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Eu vos dou um novo preceito: que uns aos outros vos ameis, como eu vos tenho amado  (Jo 13,34) 

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 5,43-48

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvis­tes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: ‘Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!’ 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre os justos e injustos. 46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? 47E se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

São Gregório Barbarigo

- por Padre Alexandre Fernandes

Era um homem de grandes atividades, porque tinha grande intimidade com o Senhor

Nasceu em Veneza no ano de 1625 dentro de uma família nobre, que proporcionou a ele uma formação intelectual muito boa e também integral. Ele conheceu o Cristianismo através do testemunho de sua família.

Seguir a Cristo supõe renúncia, cruz, decisões grandes e pessoais. No meio dos estudos ele se tornou um diplomata europeu e, ali, dava testemunho de Igreja e Cristianismo, mas dentro de si havia o chamado ao sacerdócio. Deixou tudo: bens e carreira e foi ordenado sacerdote. Tornou-se cada vez mais um servo na Igreja e foi escolhido para ser assessor do Papa. Não demorou muito e ele foi ordenado Bispo de Bérgamo (onde fez um maravilhoso trabalho apostólico). Em seguida foi transferido para Pádua, onde cuidou principalmente da formação do Clero, para colocar em prática todas as decisões do Concilio de Trento.

Era um homem de oração. Não existirá um santo na Igreja que não tenha vivido seriamente a vida penitencial e a vida de oração. São Gregório era um homem de grandes atividades, porque tinha grande intimidade com o Senhor. Tantos trabalhos teve que, com 72 anos, foi atestada a sua morte. Morreu de tanto trabalhar.

São Gregório Barbarigo, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Amai vossos inimigos! (Mt 5,43-48)

 

            Como brota a inimizade na terra de nosso coração? Uma palavra ofensiva… O som ligado alto demais na casa ao lado… A briga do filho com o filho do vizinho… A pedra na vidraça… O arranhão no carro zero… O cãozinho envenenado… O sucesso escolar do colega… A alegria do outro com a derrota de meu time… A religião diferente… A invasão de meu país… Seja qual for o motivo – não importa o tamanho! -, decido cortar relações, maquinar a vingança, dar o troco.

 

            Aí vem Jesus e ensina àqueles que pretendem segui-lo: “Amai vossos inimigos! Fazei o bem aos que vos odeiam! Orai pelos que vos maltratam e perseguem!” Deve ser por isso que os cristãos vão escasseando…

 

            Silvano do Monte Athos [1866-1938] comenta: “Aquele que ama seus inimigos conhecerá sem demora o Senhor através do Espírito Santo. Ao contrário, quem não os ama, eu nem quero escrever a respeito deles. Mas eu o lamento, pois ele atormenta a si mesmo; faz sofrer aos outros e não conhecerá o Senhor”.

 

            Sem dúvida, é o tipo de lição que revolve as vísceras de um pagão. No mínimo, alega que isto vai além da natureza humana. E tem razão: não é natural; é sobrenatural…

 

            Silvano prossegue: “Eu vos suplico: façam uma experiência! Se alguém vos ofende ou vos despreza, ou vos toma o que vos pertence, ou persegue a Igreja, rezai ao Senhor dizendo: ‘Senhor, nós somos todos tuas criaturas; tem piedade de teus servidores e volta-os ao arrependimento!’ Então, levarás imperceptivelmente a graça em tua alma. No começo, força teu coração a amar teus inimigos; então, o Senhor, vendo tua boa intenção, ajudar-te-á em tudo, e a própria experiência te ensinará”.

 

            Não nos faltam exemplos! João Paulo II visitou no presídio o turco Ali Agca, que o ferira bala, e deu-lhe seu perdão. Maria Goretti, apunhalada várias vezes por Alessandro Serenelli, que queria violentá-la, perdoou-o antes de morrer. Na canonização da jovem santa, estava presente Serenelli, que cumprira longa pena na prisão. Ele declarou: “Foi o perdão de Maria que me salvou!”

 

            E do alto do Calvário, Jesus mostrava o caminho: “Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem!”

 

Orai sem cessar: “Jesus, manso e humilde de coração,

                               fazei o meu coração semelhante ao teu!”

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.