19 de Agosto de 2019

20ª semana comum Segunda-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

SEGUNDA FEIRA – XX SEMANA DO TEMPO COMUM

(Verde – ofício do dia da IV semana)

 

Antífona da entrada

 

– Ó Deus nosso protetor, volvei para nós o vosso olhar e contemplai a face do vosso ungido, porque um dia em vosso templo vale mais que outros mil

(Sl 83,10).

 

Oração do dia

 

– Ó Deus preparastes para quem vos ama bens que nossos olhos não podem ver; acendei em nossos corações a chama da caridade para que, amando-vos em tudo e acima de tudo, corramos ao encontro das vossas promessas que superam todo desejo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Jz 2,11-19

 

– Leitura do livro dos Juízes: Naqueles dias 11os filhos de Israel fizeram o que desagrada ao Senhor, servindo a deuses cana­neus. 12Abandonaram o Senhor, o Deus de seus pais, que os havia tirado do Egito, e seguiram outros deuses dos povos que em torno deles habitavam, e os adoraram, provocando assim a ira do Senhor. 13Afastaram-se do Senhor, para servir a Baal e a Astarte. 14Por isso acendeu-se contra Israel a ira do Senhor, que os entregou nas mãos dos salteadores que os saqueavam, e os vendeu aos inimigos que habitavam nas redondezas. E eles não puderam resistir aos seus adversários. 15Em tudo o que desejassem empreender, a mão do Senhor estava contra eles para sua desgraça, como lhes havia dito e jurado. A sua aflição era extrema. 16Então o Senhor mandou-lhes juízes, que os livrassem das mãos dos saqueadores. 17Eles, porém, nem aos seus juízes quiseram ouvir, e continuavam a prostituir-se com outros deuses, adorando-os. Depressa se afastaram do caminho seguido por seus pais, que haviam obedecido aos mandamentos do Senhor; não procederam como eles. 18Sempre que o Senhor lhes mandava juízes, o Senhor estava com o juiz, e os livrava das mãos dos inimigos enquanto o juiz vivia, porque o Senhor se deixava comover pelos gemidos dos aflitos. 19Mas, quando o juiz morria, voltavam a cair e portavam-se pior que seus pais, seguindo outros deuses, servindo-os e adorando-os. Não desistiram de suas obras perversas nem da sua conduta obstinada.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 106,34-45.36-37.39-40.43ab.44 (R: 4a)

 

– Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!
R: Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!

– Não quiseram suprimir aqueles povos, que o Senhor tinha mandado exterminar; misturaram-se, então, com os pagãos, e aprenderam seus costumes depravados.

R: Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!

– Aos ídolos pagãos prestaram culto, que se tornaram armadilha para eles; pois imolaram até mesmo os próprios filhos, sacrificaram suas filhas aos demônios.

R: Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!

– Contaminaram-se com suas próprias obras, prostituíram-se em crimes incontáveis. Acendeu-se a ira de Deus contra o seu povo e o Senhor abominou a sua herança.

R: Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!

– Quantas vezes o Senhor os libertou! Eles, porém, por malvadez o provocavam, mas o Senhor tinha piedade do seu povo, quando ouvia o seu grito na aflição.

R: Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Felizes os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus (Mt 5,3).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 19,16-22

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo, 16alguém aproximou-se de Jesus e disse: “Mestre, que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?” 17Jesus respondeu: “Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é o Bom. Se queres entrar na vida eterna, observa os mandamentos”. 18O homem perguntou: “Quais mandamentos?” Jesus respondeu: “Não matarás, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, 19honra teu pai e tua mãe, e ama teu próximo como a ti mesmo”. 20O jovem disse a Jesus: “Tenho observado todas essas coisas. Que ainda me falta?” 21Jesus respondeu: “Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me”. 22Quando ouviu isso, o jovem foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

São João Eudes

- por Padre Alexandre Fernandes

São João Eudes influenciou o mundo cristão com suas inúmeras missões e escritos

O santo deste dia foi definido por São Pio X como “autor, pai, doutor, apóstolo, promotor e propagandista da devoção litúrgica aos sagrados Corações de Jesus e Maria”. São João Eudes nasceu na Normandia, em 1601, num tempo em que o século XVII estava sendo marcado pelo jansenismo, quietismo e filosofismo.

Ao viver numa família religiosa, João estranhou quando externando seu desejo de consagrar-se a Deus encontrou barreiras com o seu pai, que não foram maiores do que o chamado do Senhor, por isto com 24 anos estava sendo ordenado Sacerdote. Homem de Deus, soube colher e promover os frutos do Espírito para a época, tanto assim que foi importantíssimo para a renovação e formação do Clero, evangelização das massas rurais e difusão da espiritualidade centrada nos Corações de Jesus e de Maria, a qual venceu com o amor afetivo de Deus as friezas e tentações da época.

São João Eudes, com suas inúmeras missões e escritos, influenciou fortemente todo o seu país e o mundo cristão. Depois de fundar a Congregação de Jesus e Maria (Eudistas), ao lado do ramo feminino chamada Refúgio de Nossa Senhora da Caridade, São João Eudes entrou no Céu em 1680 e foi canonizado em 1925.

São João Eudes, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Que devo fazer? (Mt 19,16-22)

 

            Neste Evangelho, um jovem rico se aproxima de Jesus com uma pergunta aparentemente prática, bem na linha dos modernos pragmatismos: “Que devo FAZER para ter a vida eterna?” A resposta de Jesus dá a entender que um judeu fiel, conhecedor das Escrituras, já deveria ter encontrado a resposta. Por isso mesmo, o Mestre o remete às Palavras do Sinai, que conhecemos como os Dez Mandamentos.

 

            A mesma coisa costuma acontecer conosco: ficamos perguntando a Deus aquilo mesmo que ele já nos disse muitas vezes, seja pela boca dos profetas, no passado remoto, seja pela voz de Jesus, no Evangelho de cada domingo. Seríamos distraídos? Ou nos fazemos de desentendidos?

 

            Hébert Roux observa que Mateus é o único evangelista a precisar que se tratava de um “jovem”, o que pode esclarecer a situação. De fato, os mais velhos podem cair facilmente na rotina e viver uma vida descansada (até das coisas de Deus!), toda apoiada em seguranças humanas. Os jovens, ao contrário do que se diz por aí, são sedentos de coerência, vivem na busca de algo “que valha a pena” – o que pode explicar o crescente desinteresse dos jovens por uma carreira, um diploma, em empreguinho seguro…

 

            O mesmo comentarista comenta a atitude do jovem: “De fato, sua pergunta revela a necessidade do absoluto e a busca pelo sentido da vida, como é característico da juventude. Mas, enquanto este jovem vem a Jesus impelido pelo que lhe falta (Que me falta ainda?), com a esperança de descobrir uma regra de perfeição moral superior ao que ele julgava já conhecer, o Mestre se limita a colocá-lo diante dos mandamentos bem conhecidos da segunda tábua do Decálogo”.

 

            Com isso, Jesus inverte a situação. O “algo bom” que o jovem queria conhecer, para o pôr em prática, não era uma ideia ou um padrão moral. “Bom” é o que Deus é, quer e faz. Assim, o caminho concreto (e não o segredo abstrato) está em centrar a própria vida em Deus e fazer dele o seu absoluto.

 

            Claro, o jovem perguntador diz que sempre cumpriu os tais mandamentos, mas ainda sente um vazio dentro de si. É que não basta cumprir os mandamentos de modo legalista, como quem aplica um manual, enquanto o coração permanece preso a outros bens, que acabam por se tornar ídolos em permanente competição com o próprio Deus. Jesus lê o coração do jovem, ama-o e quer que ele seja feliz. Daí, o conselho salvador: “Vai, vende os teus bens, dá o dinheiro os pobres e terás um tesouro no céu”.

 

            Afinal, como ensinou o próprio Jesus, “onde está o teu tesouro, aí está o teu coração”. (Mt 6,21)

 

Orai sem cessar: “Senhor, faz-me viver segundo o teu amor!” (Sl 119,88)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.