21 de Fevereiro de 2019

6ª Semana do Tempo Comum - Quinta-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

QUINTA FEIRA DA VI SEMANA DO TEMPO COMUM.

(verde – ofício do dia)

 

Antífona da entrada

 

– Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3).

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, que prometestes permanecer nos corações sinceros e retos, dai-nos, por vossa graça, viver de tal modo, que possais habitar em nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Gn 9,1-13

 

– Leitura do livro do Gênesis: 1Deus abençoou Noé e seus filhos, dizendo-lhes: “Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra. 2Vós sereis objeto de medo e terror para todos os animais da terra, todas as aves do céu, tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar: eis que os entrego todos em vossas mãos. 3Tudo o que vive e se move vos servirá de alimento. Entrego-vos tudo, como já vos dei os vegetais. 4Contudo, não deveis comer carne com sangue, que é sua vida. 5Da mesma forma, pedirei contas do vosso sangue, que é vida, a qualquer animal. E ao homem pedirei contas da vida do homem, seu irmão. 6Quem derramar sangue humano, por mãos de homem terá seu sangue derramado, porque o homem foi feito à imagem de Deus. 7Quanto a vós, sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e dominai-a”. 8Disse Deus a Noé e a seus filhos: 9“Eis que vou estabelecer minha aliança convosco e com vossa descendência, 10com todos os seres vivos que estão convosco: aves, animais domésticos e selvagens, enfim, com todos os animais da terra, que saíram convosco da arca. 11Estabeleço convosco a minha aliança: nenhuma criatura será mais exterminada pelas águas do dilúvio, e não haverá mais dilúvio para devastar a terra”. 12E Deus disse: “Este é o sinal da aliança que coloco entre mim e vós, e todos os seres vivos que estão convosco, por todas as gerações futuras. 13Ponho meu arco nas nuvens como sinal de aliança entre mim e a terra.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 102,16-18.19-21.29.22-23 (R: 20b)

 

– O Senhor olhou a terra do alto céu.
R: O Senhor olhou a terra do alto céu.

– As nações respeitarão o vosso nome, e os reis de toda a terra, a vossa glória; quando o Senhor reconstruir Jerusalém e aparecer com gloriosa majestade, ele ouvirá a oração dos oprimidos e não desprezará a sua prece.

R: O Senhor olhou a terra do alto céu.

– Para as futuras gerações se escreve isto, e um povo novo a ser criado louve a Deus. Ele inclinou-se de seu templo nas alturas, e o Senhor olhou a terra do alto céu, para os gemidos dos cativos escutar e da morte libertar os condenados.

R: O Senhor olhou a terra do alto céu.

– Assim também a geração dos vossos servos terá casa e viverá em segurança, e ante vós se firmará sua descendência. Para que cantem o seu nome em Sião e louve ao Senhor Jerusalém, quando os povos e as nações se reunirem e todos os impérios o servirem.

R: O Senhor olhou a terra do alto céu.

Aclamação ao santo Evangelho.

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 – Senhor, tuas palavras são espírito, são vida; só tu tens palavras de vida eterna!  (Jo 6,63.68)

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos: Mc 8,27-33

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos

– Glória a vós, Senhor!  

Naquele tempo, 27Jesus partiu com seus discípulos para os povoados de Cesareia de Filipe. No caminho perguntou aos discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?” 28Eles responderam: “Alguns dizem que tu és João Batista; outros que és Elias; outros, ainda, que és um dos profetas”. 29Então ele perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Messias”. 30Jesus proibiu-lhes severamente de falar a alguém a seu respeito. 31Em seguida, começou a ensiná-los, dizendo que o Filho do Homem devia sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, devia ser morto, e ressuscitar depois de três dias. 32Ele dizia isso abertamente. Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo. 33Jesus voltou-se, olhou para os discípulos e repreendeu a Pedro, dizendo: “Vai para longe de mim, Satanás!” Tu não pensas como Deus, e sim como os homens”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!

São Pedro Damião

- por Padre Alexandre Fernandes

São Pedro Damião discerniu sua vocação à vida religiosa e entrou para a Ordem dos Camaldulenses

São Pedro Damião, Bispo e Doutor da Igreja. Nasceu em Ravena, Itália no ano de 1007. Marcado desde cedo pelo sofrimento porque perdeu os seus pais, foi morar e viver com seu irmão. No amor e no acolhimento, São Pedro Damião pode discernir a sua vocação.

Oração e penitência, algo que sempre acompanhou a vida de Pedro Damião; e algo que também precisa nos acompanhar constantemente.

São Pedro Damião discerniu sua vocação à vida religiosa e entrou para a Ordem dos Camaldulenses, no mosteiro de Fonte Avellana, na Úmbria, onde religiosos austeros levavam vida de eremitas.

Diante das regras e do que ele via e percebia, era preciso uma renovação a começar por ele. Ao se abrir a ação do Espírito Santo, ao ser obediente às regras, outros também foram se ajuntando a Pedro Damião, fundaram outros mosteiros e deram essa contribuição.

A renovação de qualquer instituição passa pela renovação pessoal, e também é válido para os tempos de hoje. As reclamações, as acusações, as rebeliões nada renovam, mas a decisão pessoal, a abertura a Deus, isso sim, pode provocar, como provocou na vida e na história de São Pedro Damião, uma renovação.

Deus pediu mais, e ele foi servir de maneira mais próxima a hierarquia da Igreja, sendo conselheiro de um Papa. Foi Bispo de Óstia, lugar perto de Roma, e também foi escolhido como Cardeal. Algo que marcou a sua história.

São Pedro Damião, sua própria vida nos aconselha a oração, a penitência e ao amor que se compromete com a renovação dos outros, pois a partir da renovação pessoal, nós também ajudamos na renovação do outro e das instituições.

A Igreja precisa ser renovada constantemente, para isso somos chamados a nossa renovação pessoal, a conversão diária. Peçamos a intercessão do santo de hoje que foi Bispo, Cardeal e Doutor da Igreja.

São Pedro Damião, rogai por nós!

 

FONTE: Canção Nova 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

O Filho do Deus vivo… (Mc 8,27-33)

 

            No âmago de toda religião, permanece uma espécie de saudade de um tempo em que não havia barreiras entre as criaturas e o Criador: – como conhecer a Deus? Neste Evangelho, Jesus faz a pergunta àqueles homens tão próximos, que se acotovelavam com ele e comiam do mesmo pão: “Quem dizeis que eu sou?”

 

            Vamos ler a lição de São Cirilo de Jerusalém:

 

            “Nosso Senhor Jesus Cristo se fez homem, mas era desconhecido da maioria das pessoas. Querendo ensinar a verdade desconhecida, ele reúne seus discípulos e lhes diz: ‘Quem dizem que sou eu, o Filho do Homem?’ Ele não procurava por vanglória, mas queria revelar a verdade para que eles, companheiros de Deus, não tomassem a ele, Filho único de Deus, por algum homem comum.”

 

            Era desculpável, diz São Cirilo, que “os outros” o confundissem com os antigos profetas. Mas os apóstolos, que em nome de Jesus limpavam leprosos, expulsavam demônios e ressuscitavam mortos, não podiam ignorar a verdade.

 

            “E como todos guardassem silêncio, pois aquela ciência ultrapassava o homem, Pedro, o chefe da Igreja, arauto principal da Igreja, não recorreu a uma palavra que ele achasse em si mesmo: seguindo uma inspiração que não vinha do homem, mas do Pai que iluminava sua inteligência, respondeu: ‘Tu és o Cristo’. E ainda: “O Filho de Deus vivo”. Esta revelação provém do Pai.”

 

            Um pescador sem teologias e filosofias lançava-se muito além de seus limites humanos. “Quando ouves afirmar que ele é Filho, não o entendes apenas em sentido amplo: ele é o Filho gerado desde toda a eternidade por uma geração simples e incompreensível. Desde o começo, ele foi gerado pelo Pai, acima de todo começo e dos séculos. O Filho do Pai é em tudo semelhante àquele que o gerou: eterno, de um Pai eterno, gerado como vida da vida, verdade da verdade, sabedoria da sabedoria, rei de rei, Deus de Deus e poder de poder.”

 

            Como o velho pescador chegaria a essas altitudes? São Cirilo responde: “Somente o Espírito Santo conhece as profundezas de Deus (1Cor 2,10), mas o próprio Espírito Santo se absteve de falar disso. Vais, então, meter-te naquilo que o Espírito Santo não fez que escrevessem nas Escrituras? Basta-nos saber que Deus gerou um só Filho Único”.

 

Orai sem cessar: “Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo.” (1Jo 1,3b)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

14º Domingo do Tempo Comum