21 de Setembro de 2019

24ª Semana Comum Sábado

- por Padre Alexandre Fernandes

SABADO – SÃO MATEUS APÓSTOSTOLO E EVANGELISTA

(vermelho, glória,pref.dos apóstolos – ofício da festa)

 

Antífona da entrada

 

– Ide e de todas as nações fazei discípulos, diz o Senhor, batizando-os e ensinando-os a observar todos os mandamentos que vos dei (Mt 28,19)

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, que na vossa inesgotável misericórdia escolhestes o publicano Mateus para torná-lo Apóstolo, dai-nos, por sua oração e exemplo, a graça de vos seguir e permanecer sempre convosco. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Ef 4,1-7.11-13

 

– Leitura da carta de são Paulo aos Efésios: Irmãos, 1eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2Com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor. 3Aplicai-vos a guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz. 4Há um só Corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados. 5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. 7Cada um de nós recebeu a graça na medida em que Cristo lha deu. 11E foi ele quem instituiu alguns como apóstolos, outros como profetas, outros ainda como evangelistas, outros, enfim, como pastores e mestres. 12Assim, ele capacitou os santos para o ministério, para edificar o corpo de Cristo, 13até que cheguemos todos juntos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito e à estatura de Cristo em sua plenitude.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 19A,2-3.4-5 (R: 5a)

 

– Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!
R: Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

– Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento, a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia.

R: Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!

– Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz.

R: Seu som ressoa e se espalha em toda a terra!
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– A vós, ó Deus, louvamos, a vós, Senhor, cantamos, vos louva, ó Senhor, o coro dos apóstolos.

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 9,9-13

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo, 9Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e o seguiu a Jesus.
10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?” 12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

 

São Mateus

- por Padre Alexandre Fernandes

São Mateus deixou tudo imediatamente, pondo de lado a vida ligada ao dinheiro e ao poder

A Igreja celebra hoje, de forma especial, a vida de São Mateus apóstolo e evangelista, cujo nome antes da conversão era Levi. Morava e trabalhava como coletor de impostos em Cafarnaum, na Palestina. Quando ouviu a Palavra de Jesus: “Segue-me” deixou tudo imediatamente, pondo de lado a vida ligada ao dinheiro e ao poder para um serviço de perfeita pobreza: a proclamação da mensagem cristã!

Mateus era um rico coletor de impostos e respondeu ao chamado do Mestre com entusiasmo. Encontramos no Evangelho de São Lucas a pessoa de Mateus que prepara e convida o Mestre para a grande festa de despedida em sua casa. Assim, uma numerosa multidão de publicanos e outros tantos condenados aos olhos do povo, sentaram-se à mesa com ele e com Àquele que veio, não para os sãos, mas sim para os doentes; não para os justos, mas para os pecadores. Chamando-os à conversão e à vida nova.

Por isso tocado pela misericórdia Daquele a quem olhou e amou, no silêncio e com discrição, livrou-se do dinheiro fazendo o bem.

É no Evangelho de Mateus que contemplamos mais amplamente trechos referentes ao uso do dinheiro, tais como: “Não ajunteis para vós, tesouros na terra, onde a traça e o caruncho os destroem.” e ainda:“Não podeis servir a Deus e ao dinheiro.”

Com Judas, porém, ficou o encargo de “caixa” da pequena comunidade apostólica que Jesus formava com os seus. Mateus deixa todo seu dinheiro para seguir a Jesus, e Judas, ao contrário, trai Jesus por trinta moedas!

Este apóstolo a quem festejamos hoje com toda a Igreja, cujo significado do nome é Dom de Deus, ficou conhecido no Cristianismo nem tanto pela sua obra missionária no Oriente, mas sim pelo Evangelho que guiado pelo carisma extraordinário da inspiração pôde escrever, entre 80-90 na Síria e Palestina, grande parte da vida e ensinamentos de Jesus. Celebramos também seu martírio que acabou fechando com a palma da vitória o testemunho deste apóstolo, santo e evangelista.

São Mateus, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

 

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Ele se levantou e o seguiu… (Mt 9,9-13)

 

            Em poucas frases, numa narrativa curta e sóbria, Mateus relata o momento de sua vocação. Jesus passa, vê o publicano em sua banca e diz duas palavras: “Segue-me!” E ele o seguiu.

 

            O publicano é um judeu que aceitou a tarefa nada honrosa de cobrar o tributo de seus compatriotas e repassá-lo aos dominadores romanos, cujas legiões haviam invadido a Palestina no ano 63 a.C. É fácil imaginar o desprezo dos judeus pelos cobradores de impostos, cuja profissão era considerada como “impura”, em razão de seu permanente contato com os “cães” romanos.

 

            Daí, a estranheza dos fariseus, ciosos de sua “pureza ritual”, ao verem Jesus misturado com aquela “gentinha”. E o Mestre obrigado a dizer o óbvio: ele viera ao mundo pelos pecadores. Ajuda a entender se prestamos atenção a um detalhe: Mateus-Levi estava sentado. Posição estática. Ouve o chamado e se levanta. Ação dinâmica. O chamado de Jesus o move, o remove, o promove.

 

            É notável que ele atenda ao chamado sem se fazer perguntas: quem é este homem? Que crédito ele merece? E deixa tudo sem nenhum questionamento, abandonando na banca aquilo que havia recolhido na jornada. E, desde já, o ex-publicano se vê incluído em definitivo na lista dos Doze, as colunas da Igreja que o Mestre está edificando.

 

            Para Hébert Roux, é provável que Mateus mencione sua vocação apenas para poder relatar as palavras seguintes de Jesus, provavelmente pronunciadas na própria casa do futuro evangelista. “Se Jesus entrou na casa dele, é exatamente porque ele veio proclamar o perdão dos pecados no meio de homens pecadores”.

 

            Isto me leva a pensar nas pessoas que dizem: – “Confessar o quê? Eu não tenho pecados… Não matei, não roubei…” Se é assim, Jesus não veio para eles, veio para os outros… Veio para os que ofendem com palavras, veio para os que falam mal do próximo, veio para os que alimentam rancores, os que recusam o perdão, os que negam ajuda material a quem vem pedir… Na verdade, veio também para os que matam e roubam… desde que estes se reconheçam como pecadores…

 

            Enfim, Jesus Cristo não chama apenas pelos puros e santos, as estrelas alfa de cada constelação. Em sua missão de salvar, ele começou por um ladrão, no Calvário, a quem prometeu o Paraíso no mesmo dia. Igualmente, para trabalhar em sua Igreja, Jesus continua chamando gente frágil e sujeita ao pecado. Essa gente se levanta, deixa tudo e o segue…

 

Orai sem cessar: “Eu te chamei pelo teu próprio nome, tu és meu!” (Is 43,1)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.