22 de Outubro de 2019

29ª semana comum Terça-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

TERÇA FEIRA – XXIX SEMANA DO TEMPO COMUM

(Verde – ofício do dia)

 

Antífona da entrada

 

– Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me. (Sl 16,6.8).

 

Oração do dia

 

– Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor, e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Rm 5,12.15.17-19.20-21

 

– Leitura da carta de são Paulo aos Romanos: Irmãos, 12o pecado entrou no mundo por um só homem. Através do pecado, entrou a morte. E a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram. 15bA transgressão de um só levou a multidão humana à morte, mas foi de modo bem mais superior que a graça de Deus, ou seja, o dom gratuito concedido através de um só homem, Jesus Cristo, se derramou em abundância sobre todos. 17Por um só homem, pela falta de um só homem, a morte começou a reinar. Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só, Jesus Cristo, os que recebem o dom gratuito e superabundante da justiça. 18Como a falta de um só acarretou condenação para todos os homens, assim o ato de justiça de um só trouxe, para todos os homens, a justificação que dá a vida. 19Com efeito, como pela desobediência de um só homem a humanidade toda foi estabelecida numa situação de pecado, assim também, pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situação de justiça. 20bPorém, onde se multiplicou o pecado, aí superabundou a graça. 21Enfim, como o pecado tem reinado pela morte, que a graça reine pela justiça, para a vida eterna, por Jesus Cristo, Senhor nosso.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 40,7-8a.8b-9.10.17 (R: 8a.9a)

 

– Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

 

– Sacrifício e oblação não qui­ses­tes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados, e então eu vos disse: “Eis que venho!”

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

 

– Sobre mim está escrito no livro: “Com prazer faço a vossa vontade, guardo em meu coração vossa lei!”

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

 

– Boas novas de vossa justiça anunciei numa grande assembleia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

 

– Mas se alegre e em vós rejubile todo ser que vos busca, Senhor!” Digam sempre: “É grande o Senhor!” os que buscam em vós seu auxílio.

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Vigiai e orai para ficardes de pé ante o Filho do homem! (Lc 21,36).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 12,35-38

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas

– Glória a vós, Senhor!   

 

– Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou à três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!   

São João Paulo II

- por Padre Alexandre Fernandes

22/10 – São João Paulo II

Hoje a Igreja celebra a memória de São João Paulo II. Muitos de nós conhecemos bem este Santo, ele viveu conosco. Teve um longo pontificado de 25 anos. Sua eleição foi uma enorme surpresa do Espírito Santo, pois saiu de um país que estava debaixo do regime comunista, a Polônia, atrás da vergonhosa “Cortina de Ferro.

Ele começou seu pontificado pedindo ao mundo: “Não tenhais medo! Abri, melhor, escancarai as portas a Cristo!”. Aquilo que o Papa recém-eleito pedia a todos, começou, ele mesmo, a fazê-lo: abriu a Cristo a sociedade, a cultura, os sistemas políticos e económicos, invertendo, com a força de um gigante – força que lhe vinha de Deus –, uma tendência que parecia irreversível. Com o seu testemunho de fé, de amor e de coragem apostólica, acompanhado por uma grande sensibilidade humana, este filho exemplar da Nação Polaca ajudou os cristãos de todo o mundo a não ter medo de se dizerem cristãos, de pertencerem à Igreja, de falarem do Evangelho. Numa palavra, ajudou-nos a não ter medo da verdade, porque a verdade é garantia de liberdade. Sintetizando ainda mais: deu-nos novamente a força de crer em Cristo, porque Cristo é o Redentor do homem.

Karol WojtyÅ‚a subiu ao sólio de Pedro trazendo consigo a sua reflexão profunda sobre a confrontação entre o marxismo e o cristianismo, centrada no homem. A sua mensagem foi esta: o homem é o caminho da Igreja, e Cristo é o caminho do homem.

São João Paulo II realizou de maneira extraordinária a vocação de todo o sacerdote e bispo: tornar-se um só com Jesus que diariamente recebia e oferecia na Igreja.

Um acontecimento marcante na vida de São Joao Paulo II aconteceu no dia 13 de maio de 1980, quando foi baleado por um turco. No ano seguinte levou o projétil que o atingiu para ser colocado na coroa de Nossa Senhora de Fátima. Ela o salvou. Milagrosamente o Papa foi salvo da morte. Ele disse que “uma mão puxou o gatilho, mas outra Mão dirigiu a bala”, para que não fosse fatal. Ele esteve no limiar da morte.

João Paulo II teve um pontificado notável; um Papa sábio, douto e santo, cuja canonização foi pedida pelo povo, na Praça de São Pedro, no dia do seu sepultamento.

Entre os documentos mais importantes que João Paulo II nos deixou, está o Catecismo da Igreja Católica, que ele chamou de “texto de referência da fé católica”, e que pediu que os fiéis e os pastores “usem assiduamente ao convocar as pessoas para viver a fé”. Além disso, o Papa renovou o Código de Direito Canônico. E escreveu muitas encíclicas e inúmeros documentos importantes, defendendo a vida, a família, a paz no mundo, a razão e a fé e a Eucaristia, Pronunciou Catequeses famosas nas audiências de quarta feira, sobretudo sobre a Igreja, o Espírito Santo, a Virgem Maria, e praticamente sobre todos os assuntos da doutrina católica.

O Brasil recebeu a graça de sua visita em três ocasiões. A primeira, em 1980, foi também a primeira vez que um Pontífice pisava em solo brasileiro. Na ocasião, presidiu beatificação do jesuíta espanhol José de Anchieta, fundador da cidade de São Paulo, que foi canonizado em 2014 pelo Papa Francisco. A segunda foi em 1991, quando visitou a Bem-Aventurada Irmã Dulce, em Salvador. A terceira e última aconteceu em 1997, por ocasião do Encontro Mundial das Famílias, no Rio de Janeiro.

São João Paulo II faleceu em 2 de abril de 2005 às 21h37, na noite prévia ao Domingo da Divina Misericórdia, data que ele mesmo instituiu. Após 26 dias do seu falecimento, Bento XVI concedeu a dispensa dos cinco anos de expectativa prescritos permitindo o início da causa de canonização. Em 1º de maio de 2011, Bento XVI o proclamou beato e, em 27 de abril de 2014, Papa Francisco o canonizou.

São Joao Paulo II, rogai por nós.

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Se os achar vigilantes… (Lc 12, 35-38)

 

            A vida do cristão é permanente espera e expectativa do Senhor, é por natureza um tempo de vigilância. Se os humildes pastores de Belém ouviram dos anjos o convite para a gruta, é que eles velavam durante aquela noite. Dorminhocos não ouvem convites…

 

            Naturalmente, não se trata de uma vigília tensa, como soldados sitiados que temem um iminente ataque noturno. Muito ao contrário, trata-se daquela expectativa jubilosa de um povo que tem como certa a vinda do Senhor. Enquanto Ele não chega, a noiva ansiosa se atavia com flores de laranjeira. E os amigos do noivo afinam seus instrumentos. O maior da casa, o mordomo previdente, já terá encomendado o vinho capitoso.

 

            Um de meus cânticos – Vigia esperando a aurora -, gravado duas vezes pelo Pe. Jonas Abib, fala exatamente do “vigia que espera pela aurora”. Imagem de cada fiel que se sente responsável pelo anúncio da Boa Nova. Hoje, ofereço esta letra para sua meditação:

 

            Vigia esperando a aurora,

            Qual noiva esperando o amor,

            É assim que o servo espera

            A vinda do seu Senhor!

 

1. Ao longe, um galo vai cantar seu canto,

O sol no céu vai levantar seu manto,

Mas na muralha eu estarei desperto,

Que já vem perto o Dia do Senhor.

 

2. A minha voz vai acordar meu povo,

Louvando a Deus, que faz o mundo novo.

Não vou ligar se a madrugada é fria,

Que um novo dia logo vai chegar…

 

3. Se é noite escura, acendo a minha tocha.

Dentro do peito, o Sol já desabrocha.

Filho da luz, não vou dormir: vigio.

Ao mundo frio vou levar o Amor!

 

Orai sem cessar: “Eu te estabeleci como sentinela para a Casa de Israel.” (Ez 33, 7)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.