23 de Janeiro de 2020

2a Semana Comum Quinta-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

SEGUNDA FEIRA DA II SEMANA DO TEMPO COMUM
(cor verde – ofício do dia)

 

Antífona da entrada

 

– Que toda a terra se prostre diante de vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65,4)

 

Oração do dia

 

– Deus eterno e todo-poderoso, que governais o céu e a terra, escutai com bondade as preces do vosso povo e dai ao nosso tempo a vossa paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: 1Sm 15,16-23

– Leitura do primeiro livro de Samuel: Naqueles dias, 16Samuel disse a Saul: “Basta! Deixa-me dizer-te o que o Senhor me revelou esta noite”. Saul disse: “Fala!” 17Então Samuel começou: “Por menor que sejas aos teus próprios olhos, acaso não és o chefe das tribos de Israel? O Senhor ungiu-te rei sobre Israel 18e te enviou em expedição, com a ordem de eliminar os amalecitas, esses malfeitores, combatendo-os até que fossem exterminados. 19Por que não ouviste a voz do Senhor, e te precipitaste sobre os despojos e fizeste o que desagrada ao Senhor?” 20Saul respondeu a Samuel: “Mas eu obedeci ao Senhor! Realizei a expedição a que ele me enviou. Trouxe Agag, rei de Amalec, para cá, e exterminei os amalecitas. 21Quanto aos despojos, o povo reteve, das ovelhas e dos bois, o melhor do que devia ser eliminado para sacrificar ao Senhor teu Deus em Guilgal”. 22Mas Samuel replicou: “O Senhor quer holocaustos e sacrifícios, ou quer a obediência à sua palavra? A obediência vale mais que o sacrifício, a docilidade mais que oferecer gordura de carneiros. 23A rebelião é um verdadeiro pecado de magia, um crime de idolatria, uma obstinação. Assim, porque rejeitaste a palavra do Senhor, ele te rejeitou: tu não és mais rei”.

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 50,8-9.16bc-17.21.23 (R: 23b)

 

– A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.
R: A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

– Eu não venho censurar teus sacrifícios, pois sempre estão perante mim teus holocaustos; não preciso dos novilhos de tua casa nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos.

R: A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

– “Como ousas repetir os meus preceitos e trazer minha Aliança em tua boca”? Tu que odiaste minhas leis e meus conselhos e deste as costas às palavras dos meus lábios!

R: A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

– Diante disso que fizeste, eu calarei? Acaso pensas que eu sou igual a ti? É disso que te acuso e repreendo e manifesto essas coisas aos teus olhos.

R: A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

– Quem me oferece um sacrifício de louvor, este sim é o que me honra de verdade. “A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus”.

R: A todo homem que procede retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– A palavra do Senhor é viva e eficaz: ela julga os pensamentos e intenções do coração (H 4, 12).

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos: Mc 2,18-22

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.

– Glória a vós, Senhor!

 

– Naquele tempo, 18os discípulos de João Batista e os fariseus estavam jejuando. Então, vieram dizer a Jesus: "Por que os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam, e os teus discípulos não jejuam?"19Jesus respondeu: "Os convidados de um casamento poderiam, por acaso, fazer jejum, enquanto o noivo está com eles? Enquanto o noivo está com eles, os convidados não podem jejuar. 20Mas vai chegar o tempo em que o noivo será tirado do meio deles; aí, então, eles vão jejuar. 21Ninguém põe um remendo de pano novo numa roupa velha; porque o remendo novo repuxa o pano velho e o rasgão fica maior ainda. 22Ninguém põe vinho novo em odres velhos; porque o vinho novo arrebenta os odres velhos e o vinho e os odres se perdem. Por isso, vinho novo em odres novos".

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!

 

 

Santo Ildefonso

- por Padre Alexandre Fernandes

Santo Ildefonso, um homem revestido de humildade, de oração na vida sacramental

Nasceu no ano de 606, em Toledo, no dia 8 de dezembro. Um homem de oração, foi discernindo a vontade de Deus também nas perdas. Ficou órfão e, em meio aos bens que possuía, fez de tudo para a construção de um mosteiro para religiosos. Um homem de discernimento, que não quer dizer sem medo, sem dificuldades.

Os santos não foram super-homens, mas pessoas de carne e osso que foram se deixando transformar por Aquele que é o santo dos santos: Jesus Cristo. Ele que, pelo poder do Espírito Santo, opera maravilhas no coração que se abre.

Santo Ildefonso, um coração aberto para as vontades de Deus, mesmo contra a própria vontade. Aconteceu que o Bispo de sua localidade havia falecido e o povo o elegeu. Ele se escondeu num convento, mas foi descoberto e aceitou este grande serviço para o povo de Deus. Foi um grande instrumento de Deus e devoto da Santíssima Virgem. Ele propagou a Festa da Expectação de Nossa Senhora, em 18 de dezembro – Nossa Senhora do Ó, como ficou conhecida. Fruto desse amor, ele recebeu a graça de uma aparição da Virgem Maria, chamando-o de “meu capelão” e presenteando-o com uma casula do céu. Assim diz o seu testemunho.

Um homem revestido de humildade, de vida, de oração na vida sacramental, por isso foi um grande pastor para o seu povo. Não evangelizou sozinho, pois os santos bem sabiam e continuam a saber o quanto nós precisamos uns dos outros para que a evangelização aconteça, para que muitos conheçam esse doce nome que tem nosso Senhor Jesus Cristo. Os santos foram aqueles que se consumiram pelo Evangelho para que muitos conheçam Jesus Cristo.

Santo Ildefonso, rogai por nós

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

O Esposo lhes será tirado… (Mc 2,18-22)

 

Na Primeira Aliança, Israel, povo de Deus, é apresentado sob a figura da esposa. O Senhor Javé é o esposo fiel e sempre pronto a perdoar as infidelidades de seu povo. Esta é uma imagem forte, que acena para um profundo anseio de intimidade entre o Deus transcendente, inacessível, e a humanidade condensada em Israel. Nele, todos os povos participarão das núpcias definitivas.

 

            No livro de Oséias, essa relação é agudizada: a esposa é uma ex-prostituta que, depois conquistada pelo profeta, volta à prostituição. Imagem do povo amado por Deus. “Ama de novo à mulher que foi amada de meu amigo, e que assim adultera, pois é assim que o Senhor ama os filhos de Israel!” (Os 3,1)

 

            No incomparável “Cântico dos Cânticos”, o livro sagrado mostra o diálogo entre o Amado e a Amada. Todos os sentidos humanos são ali explorados – o rubro das maçãs e a alvura do lírio, o aroma do incenso e da canela, o sabor das uvas e das tâmaras, a vertigem das sandálias na dança – tudo para ilustrar “a paixão violenta como o Xeol”, isto é, o amor indizível do Esposo para com seu povo.

 

            Na plenitude dos tempos, nascido de Mulher e humanado, vem o próprio Filho de Deus para nos ensinar a amar o amor definitivo, selando em sangue a Nova e Eterna Aliança. Às margens do Rio Jordão, João Batista corre a nos alertar: É Ele o esposo! Não podemos deixar que se afaste na escuridão da noite!

 

            E querem esses loucos fariseus que nós façamos jejum?! Ora, é tempo de festa! É hora de esticar as cordas de nossa tenda! (Is 54,2) A vinha em flor exala o seu perfume (Ct 2,13). As talhas de vinho estão transbordando em Caná! (Jo 2) A colheita foi farta e os celeiros estão estufados de trigo! Um Deus se esconde em nossa casa! (Is 45,15)                      

 

            Pois a Primavera passou. Os tamborins se calaram. A alcova foi devassada. O Noivo preso e condenado. Cravado na Cruz. Podem ouvir o seu lamento? Quem irá chorar por Ele? Quem levará aromas para seu sepulcro? Quem cobrirá de rosas o seu túmulo?

 

            Até que Ele volte à vida, jejuaremos na noite, enquanto as lágrimas tornam férteis nossos campos e nossa terra… Porque nenhum consolo encontra a Filha de Sião…

 

Orai sem cessar: “Senhor, fazei-nos reviver os dias de outrora!” (Lm 5,21)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.