27 de Fevereiro de 2021

1a Semana da Quaresma- Sábado

- por Pe. Alexandre

SABADO – I SEMANA DA QUARESMA
(roxo, ofício do dia)

Antífona da entrada

– A lei do Senhor é perfeita conversão para alma. O testemunho do Senhor é verdadeiro, sabedoria para os simples (Sl 18,8).

 

Oração do dia

 

– Convertei para vós, ó Pai, nossos corações, a fim de que, buscando sempre o único necessário e praticando obras de caridade, nos dediquemos ao vosso culto. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: Dt 26,16-19

 

– Leitura do livro do Deuteronômio: Moisés dirigiu a palavra ao povo de Israel e lhe disse: 16“Hoje, o Senhor teu Deus te manda cumprir esses preceitos e decretos. Guarda-os e observa-os com todo o teu coração e com toda a tua alma.  17Tu escolheste hoje o Senhor para ser o teu Deus, para seguires os seus caminhos, e guardares seus preceitos, mandamentos e decretos, e para obedecerdes à sua voz. 18E o Senhor te escolheu, hoje, para que sejas para ele um povo particular, como te prometeu, a fim de observares todos os seus mandamentos. 19Assim ele te fará ilustre entre todas as nações que criou, e te tornará superior em honra e glória, a fim de que sejas o povo santo do Senhor teu Deus, como ele disse”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 119,1-2.4-5.7-8 (R: 1b)

 

– Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!
R: Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!

– Feliz o homem sem pecado em seu caminho, que na lei do Senhor Deus vai progredindo! Feliz o homem que observa seus preceitos, e de todo o coração procura Deus!

R: Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!

– Os vossos mandamentos vós nos destes, para serem fielmente observados. Oxalá seja bem firme a minha vida em cumprir vossa vontade e vossa lei!

R: Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!

– Quero louvar-vos com sincero coração, pois aprendi as vossas justas decisões. Quero guardar vossa vontade e vossa lei; Senhor, não me deixeis desamparado!

R: Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 5,43-48

 

Salve, ó Cristo, imagem do Pai, a plena verdade nos comunicai!

Salve, ó Cristo, imagem do Pai, a plena verdade nos comunicai!

 

– Eis o tempo de conversão, eis o dia da salvação (2 Cor 6,2)

 

Salve, ó Cristo, imagem do Pai, a plena verdade nos comunicai!

 

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

– Glória a vós, Senhor!  

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. 46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? 47E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai Celeste é perfeito”.

 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!  

São Gabriel das Dores

- por Pe. Alexandre

Nascido a 1838 em Assis, na Itália, dentro de uma família nobre e religiosa, recebeu o nome de batismo Francisco, em homenagem a São Francisco.

Na juventude andou desviado por muitos caminhos, e era dado a leitura de romances, festas e danças. Por outro lado, o jovem se sentiu chamado a consagrar-se totalmente a Deus, no sacerdócio ministerial. Mas vivia ‘um pé lá, outro cá’. Ou seja, nas noitadas e na oração e penitência.

Aos 18 anos, desiludido, desanimado e arrependido, entrou numa procissão onde tinha a imagem de Nossa Senhora. Em meio a tantos toques de Deus, ouviu uma voz serena, a voz da Virgem Maria, que dizia que aquele mundo não era para ele, e que Deus o queria na religião.

Obediente a Santíssima Virgem, na fé, entrou para a Congregação dos Padres Passionistas. Ali, na radicalidade ao Evangelho, mudou o nome para Gabriel, e de acordo também com a sua devoção a Nossa Senhora, chamou-se então: Gabriel da Dores.

Antes de entrar para a Congregação, já tinha a saúde fraca, e com apenas 23 anos partiu para a glória, deixando o rastro da radicalidade em Deus.

Em meios as dores, São Gabriel viveu o santo Evangelho.

São Gabriel das Dores, rogai por nós!

Meditação

- por Pe. Alexandre

Para serdes filhos… (Mt 5,43-48)

 

Deus é amor. Nele não ódio nem projetos de vingança. Jesus Cristo, o Filho de Deus, rezava ao Pai do alto de sua cruz: “Pai, perdoai-lhes; eles não sabem o que fazem!” (Lc 23,34.) E o primeiro mártir da Igreja, o diácono Estêvão, enquanto sofria o apedrejamento, intercedia por seus assassinos: “Senhor, não lhes leves em conta este pecado!” (At 7,60.)

Quando há rixas e disputas entre os filhos, os pais sofrem com isso. A Bíblia está cheia de exemplos de tais sofrimentos. Adão e Eva diante do homicídio de Abel cometido pelo irmão Caim. Isaac e Rebeca perante a hostilidade entre Esaú e Jacó. O Rei Davi, vendo a filha Tamar violada pelo meio-irmão Amnon e, a seguir, a vingança de Absalão, que assassina o meio-irmão Amnon. É uma dor incalculável assistir ao ódio entre os próprios filhos…

Ora, nosso Deus é Pai de todos nós. Se alimentamos ódio uns contra os outros, ferimos o coração do Pai. Daí a frase de Jesus: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, para serdes filhos de vosso Pai que está nos céus…” Trata-se, pois, da condição para manter com Deus a nossa relação filial.

Quando Davi recebeu a notícia de que seu filho rebelde, Absalão, fora morto, o Rei se lamentou: “Meu filho, Absalão, meu filho, meu filho! Por que não morri eu em teu lugar?” (2Sm 19,1.) Ora, O Pai foi muito além: entregou-nos seu Filho, Jesus, que morreu em nosso lugar. Depois disso, já não há ofensa tão grande que não devamos perdoar… O sangue de Jesus clama pelo perdão entre os filhos de Deus.

Claro, a simples ideia de “perdão” é estranha ao mundo pagão. Em artigo na Folha de S.P. (02/02/06), Contardo Calligaris escrevia: “A Igreja Católica, quando instituiu o arrependimento e a penitência como condições da confissão, inventou um dispositivo extraordinariamente permissivo. Posso pecar quanto eu quiser, pois já me arrependo, sinto-me culpado, sofro e meu sofrimento me remirá”.

Notável incapacidade (ignorância?) do pagão em ter acesso à misericórdia! Não é o nosso sofrimento que nos vai remir, mas o sofrimento de Cristo na cruz é que nos garantiu (antecipadamente, sim!) o perdão do Pai. Um sacramento do perdão nos foi dado por Deus (não é invenção da Igreja!) para tornar possível a reconciliação não só com o Pai, mas também entre os irmãos.

 

            Afinal, ainda somos filhos?

 

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.