28 de Janeiro de 2020

3a Semana Comum Terça-feira

- por Padre Alexandre Fernandes

 

TERÇA FEIRA – SANTO TOMÁS DE AQUINO –  PRESBÍTERO E DOUTOR

(branco,glória, prefácio dos pastores – ofício da memória)

 

Antífona da entrada

 

– Os sábios refulgirão como o esplendor do firmamento; e os que ensinaram a muitos a justiça brilharão como estrelas para sempre (Dn 12,3).

 

Oração do dia

 

– Ó Deus, que tornastes santo Tomás de Aquino um modelo admirável pela procura da santidade e amor à ciência sagrada, dai-nos compreender seus ensinamentos e seguir seus exemplos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

 

1ª Leitura: 2Sm 6,12b-15.17-19

– Leitura do segundo livro de Samuel: Naqueles dias, 12bDavi pôs-se a caminho e transportou festivamente a arca de Deus da casa de Obed-Edom para a cidade de Davi. 13A cada seis passos que davam, os que transportavam a arca do Senhor sacrificavam um boi e um carneiro. 14Davi, cingido apenas com um efod de linho, dançava com todas as suas forças diante do Senhor. 15Davi e toda a casa de Israel conduziram a arca do Senhor, soltando gritos de júbilo e tocando trombetas. 17Introduziram a arca do Senhor e depuseram-na em seu lugar, no centro da tenda que Davi tinha armado para ela. Em seguida, ele ofereceu holocaustos e sacrifícios pacíficos na presença do Senhor. 18Assim que terminou de oferecer os holocaustos e os sacrifícios pacíficos, Davi abençoou o povo em nome do Senhor todo-poderoso. 19E distribuiu a toda a multidão de Israel, a cada um dos homens e das mulheres, um pão de forno, um bolo de tâmaras e uma torta de uvas. Depois todo o povo foi para casa

 

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 24,7.8.9.10 (R: 8a)

 

– Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”
R: Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”

– “Ó portas, levantai vossos frontões! Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, a fim de que o Rei da glória possa entrar!”

R: Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”

– Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o onipotente, o Senhor, o poderoso nas batalhas!”

R: Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”

– “Ó portas, levantai vossos frontões! Elevai-vos bem mais alto, antigas portas, a fim de que o Rei da glória possa entrar!

R: Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”

– Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “O Rei da glória é o Senhor onipotente, o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!

R: Dizei-nos: “Quem é este Rei da glória?” “É o Senhor, o valoroso, o grandioso!”
 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

– Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelastes os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25).

 

 Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos: Mc 3, 31-35

– O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.

– Glória a vós, Senhor!

 

Naquele tempo, 31chegaram a mãe de Jesus e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. 32Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura”. 33Ele respondeu: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?34E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos. 35Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

                 

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!

Santo Tomás de Aquino

- por Padre Alexandre Fernandes

A vida de Santo Tomás de Aquino foi tomada por uma forte espiritualidade eucarística

Neste dia lembramos uma das maiores figuras da teologia católica: Santo Tomás de Aquino. Conta-se que, quando criança, com cinco anos, Tomás, ao ouvir os monges cantando louvores a Deus, cheio de admiração perguntou: “Quem é Deus?”.

A vida de santidade de Santo Tomás foi caracterizada pelo esforço em responder, inspiradamente para si, para os gentios e a todos sobre os Mistérios de Deus. Nasceu em 1225 numa nobre família, a qual lhe proporcionou ótima formação, porém, visando a honra e a riqueza do inteligente jovem, e não a Ordem Dominicana, que pobre e mendicante atraia o coração de Aquino.

Diante da oposição familiar, principalmente da mãe condessa, Tomás chegou a viajar às escondidas para Roma com dezenove anos, para um mosteiro dominicano. No entanto, ao ser enviado a Paris, foi preso pelos irmãos servidores do Império. Levado ao lar paterno, ficou, ordenado pela mãe, um tempo detido. Tudo isto com a finalidade de fazê-lo desistir da vocação, mas nada adiantou.

.:Oração de São Tomás de Aquino
.:Aprenda com Santo Tomas de Aquino as evidências da existência de Deus

Livre e obediente à voz do Senhor, prosseguiu nos estudos sendo discípulo do mestre Alberto Magno. A vida de Santo Tomás de Aquino foi tomada por uma forte espiritualidade eucarística, na arte de pesquisar, elaborar, aprender e ensinar pela Filosofia e Teologia os Mistérios do Amor de Deus.

Pregador oficial, professor e consultor da Ordem, Santo Tomás escreveu, dentre tantas obras, a Suma Teológica e a Suma contra os gentios. Chamado “Doutor Angélico”, Tomás faleceu em 1274, deixando para a Igreja o testemunho e, praticamente, a síntese do pensamento católico.

Santo Tomás de Aquino, rogai por nós!

Meditação

- por Padre Alexandre Fernandes

Quem são meus irmãos? (Mc 3,31-35)

 

            Jesus, como de hábito, está cercado pela multidão impenetrável. Inesperadamente, um grupo de pessoas de seu clã procura por ele, arrastando consigo a Mãe de Jesus. A intenção deles é desviá-lo de seu ministério, julgando-o louco (cf. Mc 3,21).

 

            Avisado da presença deles, Jesus olha para seus ouvintes e pergunta: “Quem são os meus irmãos?” Em seguida, o Mestre estabelece um contraste entre a família formada pelos laços de sangue, a família biológica, por um lado, e aquela família que nasce da acolhida e da obediência à Palavra de Deus.

 

            Não raro, o fiel se vê diante da exigência de uma definição e, mesmo, de uma ruptura quando a obediência ao chamado de Deus entre em choque com os laços de sangue. Foi o caso de Edith Stein – hoje canonizada como Teresa Benedita da Cruz. Nascida em família judaica, ao ler um livro de Santa Teresa de Ávila, Edith experimentou uma descoberta de Jesus Cristo que a iniciou em um itinerário de conversão para o cristianismo. Sua adesão ao Evangelho foi vista pela família como autêntica traição às raízes judaicas. Apenas uma irmã lhe deu apoio e compreensão.

 

            Ainda hoje, em países de maioria muçulmana e hindu, é comum que um convertido ao cristianismo enfrente oposição, perseguições e até a morte. E assim fica evidente a oposição entre uma pertença familiar ou social e a obediência ao chamado de Deus, que fala aos corações.

 

            Vivendo em uma sociedade que retoma progressivamente a visão de mundo do paganismo – prazer, poder, acumulação, materialismo… -, todos nós somos interpelados a fazer escolhas. De um lado, os ditames do Evangelho, que convidam à fraternidade, ao perdão, à vida sóbria, à dependência de Deus; do lado oposto, os contravalores do mundo: individualismo, vingança, posse, autonomia.

 

            Como consequência direta de nossas escolhas, nós seremos – ou não – membros da família de Deus. E Jesus a responder à sua própria pergunta: “Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe” …

 

            Na parábola dos “filhos desiguais” (cf. Mt 21,28ss), Jesus apresenta dois “filhos” convidados pelo pai ao trabalho na vinha. Um discorda, mas acaba obedecendo; o outro diz que aceita, mas não vai. É o retrato visível de nossa situação. Se não obedeço, não sou filho… não sou irmão…

 

Orai sem cessar: “Eis-me aqui, ó Pai, para fazer a tua vontade!” (Hb 10,9)

Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança

29ª Semana do Tempo Comum

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nossa plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo nosso site, você nos autoriza a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.