13 de Maio de 2020

5a Semana de Páscoa Quarta-feira

- por Pe. Alexandre

QUARTA FEIRA – NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
(branco, pref. da Ascensão – ofício do dia)

Antífona da entrada

– Cristo nos amou e nos lavou dos pecados com seu sangue, e fez de nós um reino e sacerdotes para Deus, seu Pai, aleluia! (Ap 1,5)

Oração do dia

– Ó Deus, pela glorificação de Cristo e pela iluminação do Espírito Santo, abristes para nós as portas da vida eterna. Fazei que, participando de tão grandes bens, nos tornemos mais dedicados a vosso serviço e cresçamos constantemente na fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: At 15,1-6

– Leitura dos Atos dos Apóstolos: 1Naqueles dias, chegaram alguns da Judeia e ensinavam aos irmãos de Antioquia, dizendo: “Vós não podereis salvar-vos, se não fordes circuncidados, como ordena a Lei de Moisés”. 2Isto provocou muita confusão, e houve uma grande discussão de Paulo e Barnabé com eles. Finalmente, decidiram que Paulo, Barnabé e alguns outros fossem a Jerusalém, para tratar dessa questão com os apóstolos e os anciãos. 3Depois de terem sido acompanhados pela Comunidade, Paulo e Barnabé travessaram a Fenícia e a Samaria. Contaram sobre a conversão dos pagãos, causando grande alegria entre todos os irmãos. 4Chegando a Jerusalém, foram recebidos pelos apóstolos e os anciãos, e narraram as maravilhas que Deus tinha realizado por meio deles. 5Alguns dos que tinham pertencido ao partido dos fariseus e que haviam abraçado a fé levantaram-se e disseram que era preciso circuncidar os pagãos e obrigá-los a observar a Lei de Moisés. 6Então, os apóstolos e os anciãos reuniram-se para tratar desse assunto.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 122,1-2.3-4a.4b-5 (R: 1) 

– Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa do Senhor!
R: Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa do Senhor!

– Que alegria, quando ouvi que me disseram: “Vamos à casa do Senhor!” E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.

R: Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa do Senhor!

– Jerusalém, cidade bem edificada num conjunto harmonioso; para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor.

R: Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa do Senhor!

– Para louvar, segundo a lei de Israel, o nome do Senhor. A sede da justiça lá está e o trono de Davi.

R: Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa do Senhor!

 

Aclamação ao santo Evangelho

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

– Ficai em mim e eu em vós ficarei, diz Jesus; quem em mim permanece há de dar muito fruto (Jo 15,4).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 15,1-8

 – O Senhor esteja convosco.

– Ele está no meio de nós.

– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João

– Glória a vós, Senhor!  

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 1“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. 2Todo ramo que em mim não dá fruto ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais fruto ainda. 3Vós já estais limpos por causa da palavra que eu vos falei. 4Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto, se não permanecerdes em mim. 5Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permanece em mim e eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6Quem não permanecer em mim, será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados. 7Se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. 8Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos.

-Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor!  

 

Nossa Senhora de Fátima

- por Pe. Alexandre

Segundo as memórias da Irmã Lúcia, podemos dividir a mensagem de Fátima em três ciclos: Angélico, Mariano e Cordimariano.

O Ciclo Angélico se deu em três momentos: quando o anjo se apresentou como o Anjo da Paz, depois, como o Anjo de Portugal e, por fim, o Anjo da Eucaristia.

Depois das aparições do anjo, no dia 13 de maio de 1917, começa o ciclo Mariano, quando a Santíssima Virgem Maria se apresentou mais brilhante do que o sol a três crianças: Lúcia, 10 anos, modelo de obediência e seus primos Francisco, 9, modelo de adoração e Jacinta, 7, modelo de acolhimento.

Na Cova da Iria aconteceram seis aparições de Nossa Senhora do Rosário. A sexta, sendo somente para a Irmã Lúcia, assim como aquelas que ocorreram na Espanha, compondo o Ciclo Cordimariano.

Em agosto, devido às perseguições que os Pastorinhos estavam sofrendo por causa da mensagem de Fátima, a Virgem do Rosário não pôde mais aparecer para eles na Cova da Iria. No dia 19 de agosto, Ela aparece a eles, então, no Valinhos.

Algumas características em todos os ciclos: o mistério da Santíssima Trindade, a reparação, a oração, a oração do Santo Rosário, a conversão, a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Enfim, por intermédio dos Pastorinhos, a Virgem de Fátima nos convoca à vivência do Evangelho, centralizado no mistério da Eucaristia. A mensagem de Fátima está a serviço da Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo.

A Virgem Maria nos convida para vivermos a graça e a misericórdia. A mensagem de Fátima é dirigida ao mundo, por isso, lá é o Altar do Mundo.

Expressão do Coração Imaculado de Maria que, no fim, irá triunfar é a jaculatória ensinada por Lúcia: “Ó Meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do Inferno, levai as almas todas para o Céu; socorrei principalmente as que mais precisarem!”

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Meditação

- por Pe. Alexandre

Permanecei em mim! (Jo 15,1-8)

 

Em 4 versículos, temos 9 vezes o verbo “permanecer”. Em sua etimologia, o verbo significa “ficar por inteiro, completamente”. Assim como um ramo enxertado no tronco recebe dele – exclusivamente – sua seiva, alimentação e vida. E assim, só devido à sua inserção no tronco é que pode produzir fruto.

Permanecer é viver. É resistir à violência do vento e aos ardores do sol, pois a vida que vem do tronco é garantia de sobrevivência e de abundante colheita. Ao contrário, amputar-se do tronco é optar pela inanição e pela morte, por um fim estéril e sem esperança.

“Jesus acaba de instituir a Eucaristia – comenta o Pe. Ceslas Spicq -, graças à qual permanecerá fisicamente presente entre os seus. Compara a união existente entre ele e seus discípulos com este “sangue da vinha”, com a videira e seus ramos, O sentido da alegoria é tal vínculo. O único problema vital para os ramos é permanecerem unidos ao tronco, condição essencial para produzirem frutos (a vinha é um símbolo da fecundidade (cf. Sl 128,3; Ex 10).”

 

A alegoria de João 15 me inspirou o soneto “RAMO DA VIDEIRA”:

 

Eu quero ser um ramo da videira,

Enxertado no tronco de Jesus,

E exposto ao Sol divino, em plena luz,

Hei de frutificar a vida inteira!

 

 É Jesus a videira verdadeira:

 Da seiva que seu tronco me conduz,

 A Vida passa por meus galhos nus

 E nova primavera já se abeira…

 

Senhor, mesmo na bruma mais espessa,

No teu Amor eu sempre permaneça

Como quem persevera e não se cansa!

 

 Faz-me fiel no extremo do caminho

 E de meus cachos correrá bom vinho

 Para alegrar a festa da Aliança…

25ª Semana do Tempo Comum