Memória de Santa Teresa de Ávila

Memória de Santa Teresa de Ávila

Com grande alegria celebramos, hoje, a vida de santidade
daquela que mereceu ser proclamada “Doutora da Igreja”: Santa Teresa de Ávila, também
conhecida como a mestra da oração, que muito tem para nos ensinar por sua vida
e pelos seus escritos.

Teresa nasceu em Ávila, na Espanha, em 1515, numa família
numerosa, com nove irmãos e três irmãs, filha de pais virtuosos e tementes a
Deus.

Ainda menina, com menos de 9 anos, tem a oportunidade de ler
a vida de alguns mártires que lhe inspiram o desejo do martírio, a tal ponto
que improvisa uma breve fuga de casa para morrer mártir e subir ao Céu.

Alguns anos depois, Teresa falará da suas leituras da
infância e afirmará que nelas descobriu a verdade, que resume com dois
princípios fundamentais: por um lado, ‘o fato de que tudo o que pertence ao
mundo daqui, passa e por outro, que só Deus é ‘para sempre’, tema que retorna
na celebre poesia: ‘Nada te perturbe, nada te espante;  tudo passa. Deus não muda; a paciência tudo
alcança; quem possui a Deus, nada lhe falta, só Deus basta!’.

Se na adolescência a leitura de livros profanos a tinha
levado às distrações de uma vida mundana, a experiência como aluna das monjas
agostinianas de Santa Maria das Graças de Ávila e a leitura de livros
espirituais, sobretudo clássicos de espiritualidade franciscana, ensinam-lhe o
recolhimento e a oração.

Com vinte anos entra no mosteiro carmelita da Encarnação,
ainda em Ávila; na vida religiosa assume o nome de Teresa de Jesus.

Não é fácil resumir em poucas palavras a profunda e
minuciosa espiritualidade de Santa Teresa. Gostaria de mencionar alguns pontos
essenciais.

Em primeiro lugar, santa Teresa propõe as virtudes
evangélicas como base de toda a vida cristã e humana: em especial, o desapego
dos bens, ou pobreza evangélica, e isto diz respeito a todos nós; o amor mútuo
como elemento básico da vida comunitária e social; a humildade como amor à
verdade e a determinação como fruto da audácia cristã.

Em segundo lugar, santa Teresa propõe uma profunda sintonia
com as grandes figuras bíblicas e a escuta viva da Palavra de Deus. Ela
sente-se em sintonia sobretudo com a esposa do Cântico dos Cânticos e com o
apóstolo Paulo, mas também com o Cristo da Paixão e com Jesus Eucarístico.

Depois, a santa realça como a oração é essencial; orar, diz,
‘significa frequentar com amizade, porque frequentamos face a face Aquele que
sabemos que nos ama’

Outro tema amado pela santa é a centralidade da humanidade
de Cristo. Com efeito, para Teresa a vida cristã é relação pessoal com Jesus,
que culmina na união com Ele pela graça, amor e imitação.

Daqui a importância que ela atribui à meditação da Paixão e
à Eucaristia, como presença de Cristo na Igreja, pela vida de cada crente e
como centro da liturgia.

Santa Teresa vive um amor incondicional à Igreja. Reforma a
Ordem carmelita com a intenção de melhor servir e defender a ‘Santa Igreja
Católica Romana’, disposta a dar a vida por ela.

Um último aspecto essencial da doutrina de Santa Teresa, que
gostaria de frisar, é a perfeição, como aspiração de toda a vida cristã e sua
meta final.

Por que ela é Mestra e Doutora?

Santa Teresa de Jesus é verdadeira mestra da vida cristã
para os fiéis de todos os tempos. Na nossa sociedade, muitas vezes carente de
valores espirituais, santa Teresa ensina-nos a ser testemunhas indefesas de
Deus, da sua presença e ação, ensina-nos a sentir realmente esta sede de Deus
que existe na profundidade do nosso coração, este desejo de ver Deus, de O
procurar, de dialogar com Ele e de ser seu amigo.

Esta é a amizade necessária para todos nós e que devemos
buscar de novo, dia após dia. O exemplo desta santa, profundamente
contemplativa e eficaz nas suas obras, leve-nos também a nós a dedicar cada dia
o justo tempo à oração, a esta abertura a Deus, a este caminho para procurar
Deus, para O ver, para encontrar a sua amizade e assim a vida verdadeira.

Santa Teresa de Avila,rogai por nós!