Memória dos Protomártires do Brasil

Memória dos Protomártires do Brasil

No dia 03 de outubro, a Igreja no
Brasil celebra a Memória dos Protomártires Brasileiros.

Segundo o relato da Igreja,
invasores holandeses calvinistas assassinaram 69 pessoas que participavam de
uma Santa missa celebrada pelo padre André de Soveral na cidade de Cunhaú, em
15 de julho de 1645.

Menos de três meses depois, outro
grupo de católicos foi massacrado, em uma paróquia de Natal. De lá, o sacerdote
Ambrósio Francisco Ferro foi levado para a cidade de Uruaçu e morto ao lado de
outros 80 fiéis.

Todos foram assassinados porque
os holandeses, que também recrutaram índios para realizar o massacre, não
admitiam o catolicismo nas áreas sob sua dominação. O camponês Mateus Moreira
repetia: “Louvado seja o Santíssimo Sacramento” antes de ter seu
coração arrancado.

Algumas vítimas tiveram as
línguas arrancadas para que não fizessem mais suas orações católicas.

Os mártires, que hoje celebramos,
pertencem a esta geração que regou o solo pátrio, tornando-o fértil para a
geração de novos cristãos. Eles são as primícias do trabalho missionário no
Brasil. São os primeiros mártires aqui desta terra, evangelizadores, são os
nossos mártires. Os primeiros mártires são sempre muito cultuados, pois
trata-se do primeiro sangue derramado na terra de cristãos que professam sua fé
em Jesus Cristo em cada país. E aqui nós tínhamos esse grupo tão grande e, na
verdade, tão bonito, porque era gente muito simples, era gente que vivia sua
vida familiar, sua vida de trabalho, que ia aos domingos à Igreja, que ensinava
seus filhos a fazer o sinal da cruz, a rezar uma ave-maria; Naquele momento,
Deus deu a eles essa grande graça que é, ao mesmo tempo, uma grande graça para
o nosso Brasil e para a nossa Igreja. A coragem de dar a vida pelo Evangelho e
pela fé.

Foram beatificados por São Joao
Paulo II em 5 de março de 2000 e proclamados santos em 2015 pelo Papa
Francisco.

Protomártires do Brasil, rogai
por nós!