Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo – Domingo

Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo – Domingo

Hoje, último domingo do tempo litúrgico, celebramos a festa de Cristo Rei. E por que a leitura da crucificação? Porque estamos voltando ao centro do mistério da fé – a paixão, a morte, a ressurreição, que dão sentido à vida cristã. Jesus venceu o mundo pelo poder da cruz. Somos feridos pelo pecado, que traz a morte, desune os homens, nos coloca mais distantes uns dos outros e de Deus. Se o homem pecou e se afastou de si e de Deus, a forma que Deus escolheu para nos salvar é se entregando na cruz voluntariamente.
No primeiro domingo da Quaresma, Cristo foi ao deserto ser tentado por satanás. Lucas disse que no tempo oportuno satanás voltaria. E volta durante a cruz. Nas vozes dos religiosos, dos soldados e pagãos e do mau ladrão que O criticam. Quando o “bom” ladrão pede que Jesus lembre-se dele, ouve: “Ainda hoje estarás comigo no Paraíso”. Às vezes não reconhecemos nossas misérias e pecados. Fazemos um exame de consciência e falamos “eu não sou como aqueles”, “não realizo isso”, “não sou ladrão”. O fato não é este. Matar não é pegar em arma. Existem tantas formas de matar… Matar socialmente, matar não enxergando o outro, roubar a identidade do outro.
Como o “bom” ladrão, quando reconhecemos o que somos, aí podemos comungar o fruto da vida. Não existe glória sem a cruz nem a vida eterna sem a paixão. Existem por aí propostas de um Jesus que só realiza milagres, um Jesus autoajuda, que não deixa sofrer. Tiram o caminho redentor que é causa dos pequenos e grandes sacrifícios pelos quais passamos. Não tem jeito de passar por esse vale da vida sem passar pela cruz. Teremos muitas cruzes, perdas, doenças, dores.
Devemos ler o evangelho da crucificação com a perspectiva da mensagem de esperança: Deus tem um reinado. Somos convidados a vencer o inimigo de Deus aproximando-nos da cruz. Não podemos transformar a vida em murmurações. Precisamos aprender a perdoar até as situações mais adversas, nos parecer mais com Jesus. Compensar o mal fazendo o bem. Todo mal precisa ser reparado. Se não for aqui, será no purgatório.