Solenidade de Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil

Solenidade de Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil

Hoje a Igreja celebra a
Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Padroeira do Brasil.

Contam as crônicas que em 1717 três pescadores,
chamados João, Filipe e Domingos, trabalhavam com as suas redes no rio, sem
obter nenhum resultado. O governador de Minas Gerais e de São Paulo ia passar
por aquelas terras e os pescadores haviam recebido ordem de levar tudo o que
lhes caísse nas redes para o banquete que se ia oferecer àquela autoridade.

Na sua busca por peixes, encontram a imagem da
Imaculada Conceição, primeiramente o corpo, depois a cabeça. “Em Aparecida,
desde o início, Deus dá uma mensagem de recomposição do que está fraturado, de
compactação do que está dividido. A Igreja não pode descuidar dessa lição: ser
instrumento de reconciliação”.

A iniciativa do milagre foi de Deus e da Virgem
Maria, mas foi necessária uma abertura ao mistério divino. Se os pescadores, ao
encontrar o corpo da imagem, a tivessem jogado de volta no rio, provavelmente,
o milagre não aconteceria. Felizmente, “os pescadores não desprezam o mistério
encontrado no rio. Embora fosse um mistério que tenha aparecido incompleto, não
jogaram fora seus pedaços. Esperam a plenitude, e esta não demorou a chegar.
Há, aqui, algo de sabedoria que devemos aprender. Há pedaços de um mistério,
como partes de um mosaico, que vamos encontrando. Nós queremos ver muito rápido
a totalidade; e Deus, pelo contrário, faz-Se ver pouco a pouco. Também a Igreja
deve aprender essa expectativa.

Ele guardaram piedosamente a imagem recém-aparecida
entre os seus pertences e, confiando em Nossa Senhora, lançaram outra vez as
redes à água. Conta o cronista que, a partir desse momento, a pesca foi tão
abundante que tiveram receio de naufragar, pois a canoa ficou repleta de peixes.

Começou então a veneração a essa imagem, guardada
na casa de Filipe. Posta num oratório, “ajuntava-se a vizinhança a cantar o
terço e mais devoções”. Era o início de um fervor popular que cresceria mais e
mais com o passar do tempo, até dar origem ao Santuário Nacional de Aparecida.

Incontáveis peregrinos dirigem-se diariamente aos
santuários dedicados a Nossa Senhora, para encontrarem ali os caminhos de Deus
ou neles se reafirmarem, para acharem a paz de suas almas e consolo em suas
aflições. Nesses lugares de oração, a Virgem torna mais fácil e acessível o
encontro com o seu Filho. Todo o santuário converte-se em “uma antena
permanente da Boa-Nova da Salvação”.

Hoje celebramos a festa de Nossa Senhora Aparecida,
a que tantos cristãos recorreram e recorrem para buscar auxílio, a fim de
seguirem adiante no caminho da vida, que nem sempre é fácil.

Quantos
encontraram ali a paz da alma, a chamada de Deus a uma maior entrega, a cura, o
consolo no meio de uma tribulação! “O que buscavam os antigos romeiros? O que
buscam os peregrinos de hoje? Aquilo mesmo que buscavam no dia, mais ou menos
remoto, do seu Batismo: a fé e os meios para alimentá-la. Buscam os sacramentos
da Igreja, sobretudo a reconciliação com Deus e o alimento eucarístico. E
voltam revigorados e agradecidos à Senhora, Mãe de Deus e nossa”.

Voltemos
nossos olhares para a Senhora Aparecida e supliquemos sempre a conversão do
nosso coração, das nossas famílias e do nosso país. Ela também deseja que seu
Coração Imaculado triunfe nestas terras de Santa Cruz!

Nossa
Senhora Aparecida, rogai por nós.