XVII Domingo do Tempo Comum | Homilia dominical – Padre Alexandre Fernandes (28/07/19)

XVII Domingo do Tempo Comum | Homilia dominical – Padre Alexandre Fernandes (28/07/19)

Jesus ensina o Pai Nosso aos discípulos. Orar exige concentração, permanência, ficar longe das distrações. O Pai Nosso tem sete petições: três tratam da nossa relação com Deus e quatro da relação com o outro e das nossas necessidades. Santificar o nome de Deus é reconhecer a grandeza desse nome, que realiza todas as coisas. O reino já está presente entre nós, está aqui, sendo realizado, e presente também no que ainda não aconteceu, no reino definitivo.
Não devemos nos preocupar nem com o ontem nem com o amanhã. Deus, que cuida dos pardais, cuidará de cada um dos seus filhos. Ele provê todas as coisas e nos mostra que a cada dia bastam suas preocupações. Deus nos perdoa na medida em que somos capazes de perdoar. É difícil perdoar. Perdoar a quem nos machucou, nos tirou o tapete, nos roubou a paz. Deus nos perdoa não porque merecemos, mas porque Ele quer perdoar. Devemos aprender isso com Ele. Às vezes guardamos uma vida inteira de mágoa no coração. Precisamos pedir ao Pai que vá diluindo as mágoas dentro de nós. Perdoar significa conviver. Não adianta dizer “eu te perdoo, mas não quero nunca mais te ver”. Já pensou se Jesus nos disser: “Eu te perdoo, mas não quero sua presença no céu”?
A outra petição é o livramento do mal provocado pelo inimigo de Deus. Satanás nos rouba a felicidade. Por isso Jesus ensina a orar pedindo que a tentação ou aquilo que nos deixa à distância Dele não nos prejudique. Ore, colocando tudo nas mãos de Deus, sem deixar de realizar o que é dado a cada um realizar. De manhã peça o influxo do Espírito Santo para as ações que precisam ser realizadas, para o dia que precisamos vencer. Orar é pedir que o Espírito Santo esteja dentro de nós, conduzindo tudo. E à noite agradeça, não debaixo da coberta e com a luz apagada. Você recebe um amigo assim? Não podemos orar como se Deus fosse um estranho. Separe um cantinho de oração na sua casa. Não deixe as imagens dos santos de devoção como decoração ou cobertos de poeira. Reserve um momento para se desligar da realidade e se ligar em Deus. Realizar as realidades do Céu. Como anda nossa vida de oração?