XXXII Domingo do tempo comum

XXXII Domingo do tempo comum

Os saduceus não acreditam na ressurreição e apresentam a Jesus um caso concreto: ao morrer o marido, sem deixar filhos, seu irmão deve casar com a viúva para dar descendentes ao irmão. Eram sete irmãos. O primeiro morreu, e o segundo casou-se com a viúva. E assim foi acontecendo: todos os irmãos se casaram com ela e todos morreram. De quem ela será esposa se houver ressurreição?
Jesus coloca algumas coisas importantes. A primeira é que o matrimônio só existe enquanto estamos aqui. O voto dos noivos diante do matrimônio foi até que a morte os separe. Você fez esse voto acreditando nisso. Foi aí que você colocou sua confiança. Lá no céu, as relações de esposo, esposa, filhos, netos não vão existir porque seremos totalmente absorvidos no corpo de Cristo, estaremos na glória. E na glória não se tem mais dor, nem tristeza, nem doença, só a alegria plena.
Não existe ser humano sem corpo e sem alma. A ressurreição, união do corpo e da alma, só acontecerá na segunda vinda de Cristo. Professamos isso? Sim. Todos os domingos: “Creio na ressurreição da carne, na vida eterna”. Nosso corpo não é apenas a tenda da alma, nosso corpo faz parte de nós, é a nossa corporalidade. Não é “meu corpo morreu”, é “eu morri”. Na Parusia, mesmo os corpos já decompostos ganharão um corpo glorificado (corpo e alma).
O que acontecerá com nossa morte? Se estivermos em Cristo teremos a salvação, mesmo purificando no purgatório, mesmo sem ver Deus, pois o purgatório só tem uma porta e esta porta leva ao céu. Por isso são chamadas de almas santificadas. Quem morreu longe de Cristo terá a condenação eterna. A igreja nos ensina que nosso corpo é para sempre, foi-nos dado pelo Senhor, por isso precisamos cuidar dele, por isso lutamos pela vida desde que é chamada. Um dia estaremos todos reunidos na glória de Deus. O apóstolo Paulo disse que Deus está nos reservando algo maravilhoso, que “o olhar humano jamais viu, o coração humano jamais sentiu e que o ouvido humano jamais ouviu”. Tudo isso está reservado para aqueles que amam o Senhor.